Publicado 02 de Maio de 2021 - 19h05

O merchandising hoje se tornou uma peça fundamental para a vida e sobrevivência de muitas emissoras. Uma boa maioria de programas só se sustenta por causa deles, em uma relação de dependência que se tornou indispensável nos dias atuais. O que se verifica, no entanto, é que mesmo curvando-se à importância desta ação, poucos se preocupam em apresentar um trabalho bem feito. E aí se incluem as tantas TVs envolvidas e os seus vários anunciantes, que nada acrescentam de diferente ao trabalho que as garotas-propaganda realizavam no passado.

Caso de lembrar uma época: quando Roberto Talma, Carlos Manga e Daniel Filho foram colocados como diretores de criação da Globo, eles tiveram o cuidado de designar um outro profissional experiente, Marcos Rezende, para na ocasião fazer uma ponte de qualidade entre a produção da emissora e o anunciante. Se antes daquilo já existia um pouco, a partir de então a Globo deu um salto de qualidade irreversível na importância do seu trabalho com o merchandising. É de se lamentar que a concorrência ainda não faça o mesmo.