Publicado 02 de Maio de 2021 - 5h30

A Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, a mais longeva em atividade, completa 90 anos, e visando expandir seu público faz duas apresentações gratuitas. Hoje, das 10h às 12h faz ensaio aberto e às 20h concerto no Auditório Dom Gilberto, no Campus I da PUC-Campinas (Rua Professora Ana Maria Silvestre Adade, Parque das Universidades), e amanhã, às 20h, faz o mesmo concerto na Igreja de Santana (Rua Siqueira Campos, 177, Centro, Pedreira). A regência é do maestro convidado Erich Lehninger. Natural da Alemanha, ele mantém uma intensa agenda como solista e camerista que o levou dos EUA até a China. Também atuou como solista com importantes orquestras no Brasil e no exterior.

No repertório, músicas do compositor Georg Friedrich Händel, com as obras Música Aquática, Suíte No.1, Fá maior; Música Aquática, Suíte No.3, sol maior e Música Aquática, Suíte No.2, ré maior. Esta peça é uma coleção de movimentos orquestrais, frequentemente divididos em três suítes, compostas por Händel. Sua estreia se deu em 17 de julho de 1717, após o rei Jorge I encomendar um concerto para ser execudado sobre o rio Tâmisa. O concerto foi executado originalmente por cerca de 50 músicos, instalados em uma barca próxima da barca real , a partir da qual o monarca escutava a peça com seus amigos mais próximos, incluindo Anne Vaughan, Duquesa de Bolton, a Duquesa de Newcastle, a Condessa de Darlington, Condessa de Godolphin, Madame Kilmarnock e o Earl das Órcades. O rei Jorge teria gostado tanto das suítes que pediu a seus músicos, já esgotados, que tocassem-na por três vezes durante o tempo do percurso.