Publicado 13 de Maio de 2021 - 11h24

Por Lucas Rossafa/Correio Popular

Referência do Guarani, Andrigo foi bem marcado pela defesa do Mirassol; e o Guarani se despede do Paulistão

Thomaz Marostegan/Guarani FC

Referência do Guarani, Andrigo foi bem marcado pela defesa do Mirassol; e o Guarani se despede do Paulistão

O Guarani deu adeus ao sonho de classificação à semifinal do Campeonato Paulista após nove temporadas e amargou eliminação nas quartas de final, ontem à noite, diante do Mirassol, nas cobranças de pênalti, no Estádio José Maria de Campos Maia.

Em confronto único eliminatório, o Bugre, depois de empate sem gols no tempo regulamentar, foi derrotado pelo Leão da Alta Araraquarense na marca da cal pelo placar de 4 a 3. O zagueiro Airton e o lateral-direito Pablo desperdiçaram batidas pelo Alviverde, enquanto Andrigo, Régis e Thales converteram.

No lado mirassolense, Pedro Lucas, Diego Gonçalves, Reniê e Cássio Gabriel foram à rede, ao passo que Neto Moura carimbou a trave.

O jogo

Com festival de passes errados, Mirassol e Guarani protagonizaram etapa inicial aquém das expectativas, sobretudo por se tratar de um duelo decisivo no mata-mata do Campeonato Paulista. Dominante na maior parte dos 48 minutos, o Bugre, apesar de posse de bola inferior, conseguiu criar as melhores oportunidades no sistema ofensivo, sem exigir grande defesa de Alex Muralha ou levar perigo.

Sob ponto de vista técnico, o confronto decepcionou o bom amante do futebol, haja vista time mandante sequer ter feito uma finalização ao alvo de Rafael Martins.

O excesso de vontade no lado do Leão da Alta Araraquarense, inclusive, resultou em três jogadores pendurados e mais do que o quádruplo de desarmes.

Bem mais destruidores a construtores, comandados de Eduardo Baptista apresentaram nervosismo e sofreram para organizar lance coletivo, já que as principais peças de frente estiveram bem marcadas. Apesar de ter Andrigo na função de armador e com maior liberdade para criar, pedido antigo da torcida, o Alviverde enfrentou problemas para criar e encontrou poucos espaços.

A aposta na velocidade de Júlio César, substituído com 28 minutos após entrada desleal de Daniel Borges, Matheus Souza e Davó não foi suficiente para surpreender o rival, nem pelas beiradas, tampouco nos poucos contra-ataques.

No segundo tempo, a tônica da decisão se inverteu, com Mirassol no comando do confronto e ditando o ritmo.

A principal oportunidade saiu dos pés de Diego Gonçalves, depois de saída errada de Rafael Martins com os pés, que entregou de bandeja para Pedro Lucas. Depois de se livrar de leve pressão, Guarani controlou a partida e arriscou alguns arremates, mas abaixou a intensidade e viu cenário da etapa inicial se repetir: pouca qualidade com a posse de bola e muita vontade de ambos os lados.

Com mais preocupação de se expor no ataque a ousadia de se arriscar, clubes ficaram no empate por 0 a 0 e levaram decisão para os pênaltis.

E agora?

Eliminado nas quartas de final do Campeonato Paulista, Guarani não vai disputar o Troféu do Interior e desperdiça chance de classificação direta à Copa do Brasil de 2022. A partir de agora, o time campineiro reúne forças para estreia na Série B do Campeonato Brasileiro.

 

Escrito por:

Lucas Rossafa/Correio Popular