Publicado 12 de Maio de 2021 - 15h01

Por Lucas Rossafa/Correio Popular

Andrigo, principal protagonista do elenco e autor de quatro gols no Estadual, fica à disposição do treinador

Thomaz Marostegan/Guarani FC

Andrigo, principal protagonista do elenco e autor de quatro gols no Estadual, fica à disposição do treinador

O Guarani faz o jogo mais importante dos últimos anos hoje à noite, diante do Mirassol, pelas quartas de final do Campeonato Paulista, em jogo único, a partir das 21h, no Estádio José Maria de Campos Maia.

De olho em vaga entre os quatro melhores participantes do Estadual, o bugre, em caso de empate no tempo regulamentar, decide classificação nas cobranças de pênalti.

Durante campanha na fase de classificação, o alviverde somou 14 pontos em 12 rodadas, com quatro vitórias, dois empates, seis derrotas e 38,8% de aproveitamento, na vice-liderança do Grupo D, atrás do Leão da Alta Araraquarense com 18.

De volta ao mata-mata do Paulistão após nove temporadas, time campineiro tem praticamente força máxima para desafiar o Leão da Alta Araraquarense, dirigido pelo campineiro Eduardo Baptista.

Contestado pela torcida pelo desempenho aquém das expectativas na etapa inicial, Allan Aal não conta com Bruno Sávio, titular absoluto nesta temporada e vetado pelo departamento médico graças à lesão de grau 2 no músculo posterior da coxa esquerda - prazo previsto de recuperação é de até seis semanas.

Por outro lado, Andrigo, principal protagonista do elenco e autor de quatro gols no Estadual, fica à disposição do treinador, depois de ser poupado na derrota diante da Inter de Limeira por desgaste na panturrilha, e reassume posição de armador na vaga de Régis.

Quem também retorna à lista de relacionados e viajou foi Airton. Capitão e intocável do miolo de zaga, beque cumpriu suspensão em Limeira por expulsão no Dérbi 199 e reassume titularidade na vaga de Romércio.

O único jogador em estado de alerta no fim de semana era Rafael Martins, pendurado com dois cartões amarelos. O goleiro, entretanto, passou ileso junto à arbitragem e reúne condições legais de ir a campo no mata-mata - todas as advertências são zeradas a partir das quartas de final.

Outro teste feito pelo treinador foi na lateral-esquerda: Eliel ganhou alguns minutos durante movimentação de terça-feira pela manhã na vaga de Bidu, contestado pela torcida e também internamente, sobretudo após se envolver em troca de socos com Rodrigo Andrade depois de vitória em cima do Novorizontino.

Por outro lado, o garoto, também prata da casa, foi acionado entre os 11 nos jogos contra Santo André e Ponte Preta, justamente quando Bidu cumpria suspensão por indisciplina, ganhou rodagem e, de quebra, deixou impressão positiva por atuações seguras.

"Foram resultados que não esperávamos (duas derrotas consecutivas). Sempre queremos ganhar, mas, infelizmente, às vezes, as coisas não acontecem. Como eu disse, nós mudamos a chave. Agora é mata-mata. Não tem que ficar pensando no que passou. Temos que se preparar o máximo possível como foi a preparação para ir lá. É um ajudando o outro. Acredito que já demonstramos isso em alguns jogos. Nós temos um grande elenco. Não é só quem está jogando, mas quem está entrando está dando conta do recado", disse o goleiro Rafael Martins.

Rival

Uma das principais forças do interior, o Mirassol enfrenta o Guarani sob a pior sequência da temporada, com três jogos sem vitória: são duas derrotas e um empate. O último resultado positivo do time mirassolense foi em cima da Ponte Preta, no Moisés Lucarelli, pelo placar de 2 a 1, em 29 de abril.

O Leão, líder do Grupo D e classificado com três rodadas de antecedência, amarga surto de covid-19 e entra em campo com desfalques significativos. O goleiro Matheus Aurélio, reserva imediato de Alex Muralha, e três titulares são baixas confirmadas: o zagueiro Danilo Boza, o lateral-esquerdo Moraes e o volante Luís Oyama.

Escrito por:

Lucas Rossafa/Correio Popular