Publicado 07 de Maio de 2021 - 15h01

Por Thaís H. Bento/Correio Popular

Ponte vinha de três derrotas seguidas, mas com a vitória no clássico ganhou confiança para encarar o Verdão

Diogo Zacarias/ Correio Popular

Ponte vinha de três derrotas seguidas, mas com a vitória no clássico ganhou confiança para encarar o Verdão

A Ponte Preta tinha ganhado um gás para a reta final do Paulistão após vencer o Dérbi 199 contra o Guarani por 3 a 1 na última quarta-feira, em partida válida pela 6ª rodada do campeonato. Contudo, a esperança da Macaca terminou ao final do jogo Ferroviária 1 x 0 Ituano, ontem, em Araraquara. O time vinha de uma sequência de três derrotas seguidas e com a força do clássico buscaria a classificação as quartas de finais, mas não há mais nenhuma chance.

Sandro Forner, auxiliar técnico do elenco, esteve em campo no Dérbi 199 para representar o técnico Fábio Moreno, suspenso para essa partida. Para Sandro, o time comandou a partida e teve um bom desempenho: "Acho que nós fizemos um bom jogo, não só na segunda etapa, a primeira também. Nós tivemos o controle quase que total. Em alguns momentos a gente errou alguns passes, que era a proposta do Guarani de contra atacar, marcando médio baixo, sabíamos disso, mas no geral eu acho que a gente conseguiu controlar bem. No segundo tempo com a vantagem, mesmo tomando um gol em um escanteio nosso, a gente conseguiu rapidamente fazer o segundo gol e as coisas ficaram melhores".

"Acho que falar só da defesa seria meio leviano da nossa parte, meio simplista, porque a defesa é o time todo né. A gente tem treinado desde o começo do ano algumas situações para que a gente não sofresse, acho que teve outros jogos também que a defesa jogou bem. Infelizmente se toma um gol muitas vezes a defesa é culpada, mas se você analisar o setor teve poucas falhas nesses jogos que nós tivemos. Algumas vezes pode acontecer alguma falha individual, mas fico feliz de vocês (imprensa) terem visto que a defesa tem se posicionado melhor e com a qualidade deles têm tomado boas decisões e jogado bem", completou.

O comandante respondeu também se conseguiu colocar alguma ideia dele nessa partida: "Acho que seria leviano da minha parte, eu seria um aproveitador se eu viesse aqui depois de uma vitória desvalorizar o trabalho do Fabinho que é o treinador. Se eu to aqui hoje é porque o Fabinho confiou em mim para ajudar. Eu acho que a comissão trabalha junta, mas o mérito é do treinador, ele que está ali na frente [...]A gente está procurando colocar uma variação tática também e isso é só o tempo de trabalho que vai nos dar".

Tempo é algo que a Ponte Preta não tem mais nesse momento para o Paulistão. Os bons resultados e desempenhos poderão ajudar apenas nas próximas competições.

O próximo adversário será o Palmeiras e o jogo deve ser realizado no domingo, ainda sem horário definido pela FPF. Essa será a última rodada da primeira fase do Paulista. O Verdão busca se classificar para a próxima fase.

"As derrotas não são apagadas pelo clássico [...]Alguns resultados não vem por algum motivo, por algumas situações, mas nunca faltou luta dos jogadores, entrega nos treinamentos, a rotina desse jogo foi a mesma [...]E também não é porque ganhamos esse jogo que vamos parar o trabalho, vamos continuar, ver onde a gente errou também para continuar a melhorar, que essas derrotas que aconteceram a gente possa minimizar", disse.

"Lógico que perder nunca é bom né, agora nós aqui da comissão sempre analisamos o que acontece no jogo. A gente sabe os problemas que nós temos, onde a gente tem tido problema e onde precisamos realmente melhorar. Lógico que a parte emocional é muito difícil quando você tem as derrotas, porque as análises são muito em função dos resultados e muito mais do que todos de fora nós aqui cobramos muito mais para poder melhorar e dar as melhores ferramentas aos jogadores. Lógico que ganhar um clássico com a importância que tem nos anima bastante", contou.

Para o próximo jogo, a Ponte Preta terá dois retornos: o técnico Fábio Moreno e o lateral esquerdo Yuri. Os dois receberam cartão vermelho contra o Ituano e cumpriram suspensão.

Escrito por:

Thaís H. Bento/Correio Popular