Publicado 05 de Maio de 2021 - 15h45

Por Adriana Giachini/Correio Popular

Tom Zé

Divulgação

Tom Zé

Doce e agradável. Assim, o escritor e dramaturgo espanhol Miguel Cervantes, autor do clássico Dom Quixote, descreveu a língua portuguesa, lá no século 16, colocando seu nome ilustre na longa lista de admiradores do idioma que, neste 5 de maio, tem sua data celebrada mundialmente.

Tom Zé

No Brasil, o maior em número de habitantes entre os países onde se fala o idioma, o Dia Internacional da Língua Portuguesa terá programação especial do Museu da Língua Portuguesa, instituição do Estado de São Paulo.

Ao todo, serão mais de 13 eventos on-lines, mobilizando 23 artistas, incluindo os cantores Tom Zé e Maria Bethania. Entre os destaques da agenda, está o debate, logo às 11h, Mia Couto (Mocambique), José Eduardo Agualusa (Angola) e Inês Pedrosa (Portugal). A mediação será de Roberto Pinho.

Na sequência, às 13h, acontece o encontro “Bailão das Letras: o funk e a literatura”, também ao vivo, de criadores de conteúdo no Instagram. A ideia é desafiar os preconceitos contra o funk e revelar um dia da periferia. Participam os funkeiros Dayrel Teixeira, Murilo Lense. Se Poema Fosse Funk e Jeferson Delgado ("Favelabusiness"), com mediação de Andreza Delgado (PerifaCon).

Já no bate papo intitulado "As línguas do Brasil", às 15h, os escritores Geovani Martins e Amara Moira, junto com a pesquisadora e curadora de Literatura Indígena, Julie Dorrico, falam sobre as variedades, influências e resistências expressas nos falares brasileiros. Mediação de Marcelino Freire.

Língua Solta

O compositor Tom Zé realiza, às 17h, uma performance exclusiva para a mostra "Língua Solta", a primeira exposição temporária do Museu da Língua Portuguesa desde o incêndio de 2015. A mostra tem curadoria de Moacir dos Anjos e Fabiana Moraes e apresenta um conjunto de artefatos que ancoram seus significados no uso das palavras, como objetos da arte popular e da arte contemporânea, apresentados de maneira embaralhada, levando o público a pensar nessa divisão e em outros entendimentos possíveis para o mundo.

Como marco do 5 de maio, será realizada uma pré-abertura presencial durante esta semana, porém com ingressos já esgotados. A previsão de abertura definitiva ao público é para o segundo semestre.

E antes de o sol se por, a cantora Maria Bethânia, às 18h, fará a leitura em vídeo da letra da canção "Os Argonautas", de autoria do irmão Caetano Veloso, inspirado em Fernando Pessoa, famoso pelos versos “Navegar é preciso / Viver não é preciso”.

Vale lembrar que, ao longo da programação, transmitida no Facebook e no Youtube do Museu, serão exibidas pílulas compostas pela antropóloga e brincante brasileira Vivian Catenacci, ao lado da contadora de histórias caboverdiana Dulce Sequeira e da cantora e educadora moçambicana Lenna Bahule. O trio apresenta repertório de brincadeiras tradicionais, cantadas e ritmadas em língua portuguesa nestes três países.

Também o ator e MC Eugênio Lima será o anfitrião de todas as mesas de hoje, apresentando os convidados. Esta é a quinta edição da programação comemorativa pelo Dia Internacional da Língua Portuguesa no Brasil. Desde o ano passado, com as medidas de isolamento social, a programação cultural migrou para o ambiente virtual, que proporcionou também uma conexão mais ampla com a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Vale destacar que é possível rever as lives transmitidas na última segunda-feira, como abertura do evento, e as de ontem, em agenda também dedicada ao dia internacional da língua portuguesa.

A data

O Dia Internacional da Língua Portuguesa é uma data estabelecida de forma oficial em 2009, pela Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) - uma organização intergovernamental, que reúne os povos cujo idioma principal é português. Em 2019, também a Unesco decidiu proclamar o dia 5 de Maio como Dia Mundial da Língua Portuguesa.

A língua portuguesa é uma das mais difundidas no mundo, sendo a mais falada no hemisfério sul. Além do Brasil – que é o maior em número de habitantes na lista de países onde se fala o idioma – estão no “time” Angola, Portugal, Moçambique e Cabo Verde, entre outros.

Escrito por:

Adriana Giachini/Correio Popular