Publicado 05 de Maio de 2021 - 11h55

Por Luiz Roberto Saviani Rey/Correio Popular

A saúde e a pandemia

O prefeito de Campinas, Dário Saadi, já se encontra investido no posto de vice-presidente da área de Saúde da Frente Nacional de Prefeitos (FNP). Indicado por Jonas Donizette, que presidiu a entidade até o mês passado, Dário responderá por questões gerais dessa área, em especial os assuntos vinculados ao combate da pandemia de covid-19. Para dar conta das demandas gerais da FNP, Jonas criou várias vice-presidências, escolhendo um prefeito médico para tratar do tema que mais preocupa.

A política e o $uporte

A doação de verbas de empresários para apoio e sustentação de candidatos

voltou ao debate político nesta semana. Comissão especial instalada ontem, e comandada pelo presidente da Câmara Federal, Arthur Lira (Progressitas-AL) começou a analisar possível reforma na Lei Eleitoral, a vigorar já nas eleições de 2022. A proposta visa a junção de duas fórmulas de suporte aos candidatos: o dinheiro privado e o público, por meio do Fundo Eleitoral. Haja fundo.

"Alguém tem que ser racional e seguir os estudos"

Luiz Henrique Mandetta, ex-ministro da Saúde

BRAÇO POLÍTICO

A presença do radialista Tadeu Marcos Ferreira no gabinete de Dário Saadi - cuja nomeação saiu ontem no Diário Oficial do Município - é especulada como a constituição de um braço do prefeito nas articulações políticas, visto que ao vice-prefeito Wanderley de Almeida cabe mais estabelecer as relações institucionais.

SAUDOSA MALOCA

A Câmara Municipal de Campinas vota hoje, em primeira análise, a suspensão de medidas que gerem despejos e desocupações de imóveis no período da pandemia. O projeto de lei nesse sentido é de autoria do vereador Carlinhos Camelô.

 

TRAVESSIA SEGURA

Projeto de lei de autoria do vereador Otto Alejandro determina o uso prioritário de faixa de travessia em elevação para pedestras em frente a escolas, unidades de saúde e hospitais de Campinas.

CPI NA TELINHA

As TVs fechadas de cunho jornalístico tiveram ontem dia cheio, com o primeiro depoimento na CPI da Covid. O convocado foi o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, que bateu forte na tecla do cientificismo contra o negacionismo. “Verdades têm de ser submetidas à ciência”, disse.

CPI NA TELINHA 2

Passadas mais de quatro horas de seu depoimento, Mandetta aproveitou um momento de discussão entre o presidente da CPI, senador Omar Aziz, e um parlamentar para repor as energias.

ENERGÉTICO

Sem cerimônias, Mandetta retirou a máscara e sacou uma barra de chocolate do bolso do paletó. Pacientemente, “descascou” o chocolate e o devorou aos bocados, ao vivo e em cores. Pela coloração, era uma bela peça de chocolate amargo.

ECONOMIA PANDÊMICA

No depoimento de Mandetta, sobrou para o ministro da Economia, Paulo Guedes, acusado de ter ignorado os riscos da pandemia desde o início.

PAZUELLOS

Quem será ouvido hoje na CPI da Covid é o ex-ministro Nelson Teich, ante a negativa de Eduardo Pazuello em comparecer no Senado. Pazuello teria estado com militares contaminados pela covid e decidiu adiar para próximo dia 19.

LULA E O PSB

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva mantém conversações com o depuado Alessandro Molon (PSB-RJ) - líder da oposição na Câmara Federal, com vistas à formação de chapa para as eleições de 2022.

***

O PSB paulista é contrário às negociações. Jonas Donizette, presidente da executiva estadual quer que o partido lance candidaturas próprias.

Escrito por:

Luiz Roberto Saviani Rey/Correio Popular