Publicado 08 de Maio de 2021 - 10h21

Por Correio Popular

Uma proposta alvissareira surgiu esta semana na Comissão de Estudos da Câmara Municipal que discute projetos para o desenvolvimento do distrito do Campo Grande. Trata-se da instalação de uma universidade federal em Campinas. A ideia não é inédita, ela foi inicialmente levantada em 2013, mas acabou arquivada. Agora, ressurge como opção viável e interessante para o futuro de uma das regiões mais promissoras da cidade.

Campinas há muito tempo é reconhecida como uns dos polos universitários do Estado de São Paulo mais desenvolvidos. Hospeda faculdades conceituadas, entre elas algumas das melhores do Brasil. O valor do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da educação na cidade é de 0,925, considerado muito alto. Por isso, Campinas atrai estudantes de diversas regiões e até estrangeiros. Atualmente, a instituição de ensino superior mais conhecida é a Unicamp, mas muitas faculdades particulares têm obtido destaque.

Fundada em 1968, a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) foi a primeira instituição federal de ensino superior instalada no interior do Estado de São Paulo. A instituição se destaca pelo alto nível de qualificação de seu corpo docente: 99,8% são doutores ou mestres e 95,8% dos professores desenvolvem atividades de ensino, pesquisa e extensão em regime de dedicação exclusiva. Possui quatro campi: São Carlos, Araras, Sorocaba e Lagoa do Sino.

O quinto campus seria instalado no distrito do Campo Grande, beneficiando uma região populosa, predominantemente habitada por pessoas das classes C, D e E. Os integrantes da comissão parlamentar estudam mecanismos que permitam conhecer melhor os jovens da periferia. A ideia é mapear a realidade local e descobrir os rumos tomados por eles após a conclusão do ensino médio. Assim, será possível dimensionar o projeto e instalar uma unidade educacional de nível superior, pública e gratuita, alinhada ao perfil demográfico da região e comprometida com o seu desenvolvimento.

Com uma política que favoreça a inclusão de pessoas vulneráveis, a instalação de uma universidade pública federal e gratuita traria um grande impulso para o Campo Grande, de modo a oferecer uma nova perspectiva de vida para milhares de estudantes da região de Campinas e de outras localidades do país.

Um projeto como esse vai ao encontro da vocação da cidade como polo de produção acadêmica e de formação universitária. Só a educação tem o poder de libertar o homem e transformar uma sociedade.

Escrito por:

Correio Popular