Publicado 10 de Maio de 2021 - 11h43

Por Erick Julio/Correio Popular

Emocionada e ansiosa, Eloisa Franco de Almeida, de 19 anos, sorri em frente ao espelho, enquanto experimenta o seu vestido de noiva, em uma loja no centro de Campinas

Diogo Zacarias/Correio Popular

Emocionada e ansiosa, Eloisa Franco de Almeida, de 19 anos, sorri em frente ao espelho, enquanto experimenta o seu vestido de noiva, em uma loja no centro de Campinas

Em frente ao espelho, Eloisa Franco de Almeida, de 19 anos, sorri enquanto experimenta alguns vestidos de noiva. A jovem foi até o Centro de Campinas (SP) com o pai para escolher aquela que será a roupa mais importante no dia 19 de fevereiro de 2022, data do seu casamento com Diogo Dias de Oliveira, de 20 anos.

Durante a conversa com o Correio Popular, os olhos de Eloisa revelam uma ansiedade que reforça, com convicção, o relato que faz sobre a decisão que ela e o noivo tomaram no dia 10 de janeiro deste ano. A história do jovem casal a princípio pode parecer um pouco fora de moda nos tempos atuais, entretanto, uma pesquisa mostrou que a geração Z, que contempla as pessoas nascidas entre 1997 e 2015, está casando-se cada vez mais cedo no Brasil.

O levantamento feito pelo site Casamentos.com.br, especialista no setor e parte do grupo internacional TheKnot Worldwide, colheu respostas de casais da Espanha, Itália, França, México e Brasil, onde ouviu 2.117 entrevistados. A pesquisa contou com a participação de noivos de diferentes faixas etárias e mostrou diferenças significativas entre a geração Z e a dos millenials, como são conhecidos os que nasceram no começo da década de 1980.

O Brasil é um dos países em que mais se casa cedo. De acordo com o estudo, 56% dos noivos tinham abaixo de 26 anos, sendo que a média nos países europeus como França, Itália e Espanha foi de 15%. Além disso, os jovens brasileiros são mais conservadores. Segundo a pesquisa, 11% dos casais disseram que vão se casar por motivos religiosos e 57% preferem esperar o casamento antes de morarem juntos. Nos países europeus os percentuais não passam de 4%, por exemplo.

A pesquisa mostrou ainda as diferenças entre os casais millennials e os da geração Z no Brasil. Os nascidos a partir de 1997 possuem perfil mais romântico e 91% acreditam em amor para a vida toda, enquanto na geração anterior houve mais respostas como 'talvez, quem sabe'. Mais da metade dos entrevistados da geração Z (59%) conheceram seu companheiro ou companheira antes dos 19 anos. No caso dos millennials o percentual cai para 15%.

A Eloisa e o Diogo confirmam e muito o percentual de 59% e o romantismo da geração Z apontados pela pesquisa. A jovem conta que conhece o noivo desde criança e já namoram há cinco anos. Ela também admite que o fator religioso foi preponderante na decisão dos dois. "Meus pais são pastores e eu cresci dentro da minha religião. A decisão tem a influência religiosa, mas a gente decidiu casar-se porque já estava na hora e para poder morarmos juntos", diz Eloisa.

A Brendha Ellen Faccioli Silverio, 20, e o Gabriel Boffo Bandeira, 21, também reforçam os dados do levantamento. Os dois se conheceram quando tinham respectivamente 15 e 16 anos e, apesar de também levarem em conta a religiosidade, decidiram casar-se por uma "questão de logística".

Brendha mora em São Paulo e Gabriel em Indaiatuba. Cansados das idas e vindas entre as duas cidades ao longo do namoro, eles resolveram "unir o útil ao agradável", como conta a jovem. "A distância exige muito para você firmar um relacionamento. Morando distante, você acaba se vendo menos vezes do que gostaria, sem contar o gasto. Aí, ao invés de ficar gastando com os deslocamentos, vamos gastar com a nossa casa", aponta.

Em comum, por sua vez, os dois casais ilustram bem o romantismo da geração Z. "A gente deu um passo muito importante na nossa história. O noivado mostrou que a felicidade não tem limite algum, que vai além de tudo que sonhamos. A gente se ama, então porque não unir o útil ao agradável", exalta Brendha.

"Sempre foi um sonho meu. Quando você conhece a pessoa certa e vive um amor, você tem certeza da decisão que está tomando, aquilo te faz bem. Quando você ama, você quer viver aquela vida logo", finaliza Eloisa.

Escrito por:

Erick Julio/Correio Popular