Publicado 07 de Maio de 2021 - 10h36

Por Gilson Rei/Correio Popular

Segurança tranca portão do Ceprocamp: atividades apenas remotas

Kamá Ribeiro/ Correio Popular

Segurança tranca portão do Ceprocamp: atividades apenas remotas

As aulas presenciais no Centro de Educação Profissional de Campinas "Prefeito Antonio da Costa Santos" (Ceprocamp) foram encerradas ontem pela Prefeitura após a constatação de três casos positivos de covid-19 em funcionários. As aulas remotas continuam e não há previsão de quando serão retomadas as aulas presenciais na unidade. Hoje, uma equipe da Vigilância Sanitária vai ao local para avaliação das condições na estrutura do centro de ensino.

As aulas presenciais no período da manhã e da tarde estavam ocorrendo desde o dia 26 de abril no Ceprocamp. Já as aulas presenciais noturnas não estavam sendo realizadas devido ao toque de recolher, a partir das 21h. No mesmo dia 26 de abril voltaram também às aulas presenciais o ensino fundamental; educação especial; Educação de Jovens e Adultos (EJA); e Fumec. Já as atividades nas pré-escolas municipais o reinício foi em 3 de maio.

Os casos de covid-19 foram denunciados ao vereador Gustavo Petta (PCdoB), que solicitou a suspensão de aulas no Ceprocamp. Petta é presidente da Comissão de Educação e Esporte da Câmara Municipal de Campinas, e comunicou os casos à Secretaria de Educação, pedindo a suspensão das aulas presenciais.

Segundo os denunciantes, houve a realização de testes para detectar covid-19 em um grupo de servidores e três confirmações foram detectadas nos exames. A situação deixou os demais funcionários preocupados, pois não houve testagem em todos, mesmo com a vinda de alunos nas aulas presenciais.

Petta alertou que nem todos os professores e trabalhadores da unidade foram testados ou até comunicados. "A orientação da Devisa é pela suspensão de aulas em casos como esse, porém, muitos funcionários sequer foram comunicados dos positivos no Ceprocamp por trabalharem em outro setor", disse o vereador.

Após receber a denúncia, Petta protocolou requerimento pedindo explicações do prefeito e comunicou oficialmente o secretário, José Tadeu Jorge, que também é o presidente da Fumec, que administra o Ceprocamp.

Escrito por:

Gilson Rei/Correio Popular