Publicado 16 de Maio de 2021 - 13h43

Por Estadão Conteúdo

A formalidade para a efetivação do mandato de Ricardo Nunes (MDB) como prefeito de São Paulo foi cumprida no fim da manhã deste domingo, 16, com a edição de um ato da Mesa Diretora da Câmara Municipal da capital extinguindo o mandado de Bruno Covas. Na prática, Nunes não toma "posse", uma vez que, desde 3 de maio, já era o prefeito em exercício do município. Ele será o 54º cidadão a ocupar o cargo desde a proclamação da República, em 1889.

Seguindo normas da Lei Orgânica da cidade, o presidente da Câmara, Milton Leite (DEM), e os demais integrantes da mesa - Rute Costa (PSDB), Atílio Francisco (Republicanos), Juliana Cardoso (PT) e Fernando Holiday (sem partido) - editaram um ato de extinção de mandato "por motivo de falecimento". Um ofício com esse ato da Mesa está sendo encaminhado a Nunes no começo da tarde desde domingo. Ao receber o comunicado, o processo de transição fica oficialmente concluído.

A Câmara Municipal tomou ciência da morte de Covas pouco antes de o comunicado oficial ser publicado pela Prefeitura e pelo Hospital Sírio-Libanês, onde o prefeito vinha se tratando. Procuradores do Legislativo redigiram a nota e os membros da mesa diretora se reuniram para deixar suas assinaturas.

Escrito por:

Estadão Conteúdo