Publicado 16 de Maio de 2021 - 8h06

Por Estadão Conteúdo

Pelo quinto dia consecutivo, a média diária de novas mortes por covid-19 ficou abaixo de 2 mil. Dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa mostram que esse número chegou a 1.910 neste sábado, 15, o menor desde 15 de março, quando marcou 1.855. O patamar, no entanto, ainda é alto.

Os dados são reunidos pelo consórcio de veículos de comunicação a partir dos registros das secretarias estaduais de Saúde. O consórcio é formado pelo Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL. O cálculo da média móvel é feito com base em dados dos últimos sete dias e serve para corrigir distorções provocadas por variações em registros.

Em relação aos óbitos registrados nas últimas 24 horas, o Brasil notificou 2.067 novas mortes por covid neste sábado, segundo o balanço. Com isso, o País chegou a 434.852 óbitos pela doença desde o início da pandemia. O índice de mortes indica tendência de queda após o pico registrado nos meses de março e abril.

Foram informados, ainda, 69.300 mil novos casos de coronavírus no último dia. No acumulado, o número de diagnósticos chegou a 15.590.613, de acordo com o consórcio de imprensa. Para as novas infecções, a tendência é de alta.

Com transmissão descontrolada do vírus, o País ainda vive fase aguda da pandemia e tem visto o colapso de várias redes hospitalares, com morte de pacientes na fila por leito e falta de remédios para intubação. Governadores e prefeitos têm recorrido a restrições ao comércio e até ao lockdown para frear o vírus.

Já o presidente Jair Bolsonaro continua como forte crítico das medidas de isolamento social, recomendadas por especialistas, e afirma temer efeitos negativos na economia. Neste sábado, ele participou de manifestação em Brasília, realizada por setores do agronegócio, que entre as pautas trazia críticas às medidas de restrição.

Por sua vez, os dados reunidos pelo Ministério da Saúde apontam 67 mil novos casos e 2.087 mortes nas últimas 24 horas. Ainda segundo a pasta, o Brasil acumula 14.062.396 pessoas que se curaram da doença.

Escrito por:

Estadão Conteúdo