Publicado 12 de Maio de 2021 - 11h28

Por Estadão Conteúdo

As instituições financeiras esperam que a taxa de desemprego no Brasil esteja em 13,8% no fim de 2021. O porcentual projetado diz respeito à taxa de desemprego medida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Já a projeção para o saldo do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, é de geração de 1,005 milhão de postos de trabalho com carteira assinada este ano.

Os dados fazem parte dos resultados quantitativos agregados do questionário pré-Copom, que foram divulgados pela primeira vez pelo BC na manhã desta quarta-feira, 12.

Os números serviram de base para que o Comitê de Política Monetária (Copom) elevasse na semana passada a Selic de 2,75% para 3,50% ao ano.

A agregação mostra ainda que as instituições projetam queda de 1,3% do rendimento habitual do trabalho e alta de 0,3% do rendimento efetivo do trabalho. Em ambos os casos, as instituições consideraram a média do ano.

Os números divulgados nesta quarta-feira pelo BC mostraram ainda que 53% das instituições acreditam que, no primeiro trimestre de 2021, a quantidade de pessoas ocupadas era mais do que 5% inferior ao visto no início de 2021 (período pré-pandemia).

Na prática, a visão é de o mercado de trabalho ainda não se recuperou da pandemia.

Os dados agregados estão disponíveis em https://www.bcb.gov.br/controleinflacao/precopom.

Escrito por:

Estadão Conteúdo