Publicado 11 de Maio de 2021 - 17h50

Por Estadão Conteúdo

O Ministério da Saúde anunciou durante coletiva de imprensa na tarde desta terça-feira, 11, em Brasília, a liberação de R$ 909 milhões destinados ao combate da pandemia de coronavírus no País. A cerimônia contou com a presença do presidente da República, Jair Bolsonaro, que não se pronunciou durante o evento, e do ministro da Pasta, Marcelo Queiroga.

O valor será destinado às administrações municipais e dividido em quatro eixos principais: R$ 395 milhões serão para a atenção primária à Saúde; R$ 120 milhões para o apoio e cuidado de pessoas idosas; R$ 345 milhões de incentivo financeiro para garantir a segurança alimentar e prevenir a má nutrição em crianças menores de sete anos e gestantes com perfil no Bolsa Família; e fortalecimento das equipes de assistência aos povos e comunidades tradicionais, como quilombolas e indígenas, no valor de R$ 48 milhões.

Durante a cerimônia, que durou cerca de 20 minutos, Queiroga frisou que a capacidade de vacinação no País é superior a dois milhões de doses administradas por dia.

Ele também voltou a afirmar que o governo federal liberou a compra de 100 milhões de doses do imunizante produzido pela Pfizer.

A previsão de entrega, de acordo com o ministro, é que o primeiro lote com 30 milhões de doses da vacina produzida pela Pfizer chegue ao Brasil até o final de setembro e os outros 70 milhões até dezembro.

Na segunda-feira, 10, o Brasil aplicou pouco mais de 900 mil doses de vacina em todo o território nacional. O principal empecilho para atingir a quantidade mencionada pelo ministro Queiroga continua sendo a falta de imunizantes.

Escrito por:

Estadão Conteúdo