Publicado 11 de Maio de 2021 - 17h31

Por Estadão Conteúdo

Membro do conselho do Banco Central Europeu (BCE), Klaas Knot afirmou nesta terça-feira que as reformas dos últimos anos "ajudaram a aumentar" a resistência a choques do setor bancário da Europa. Durante discurso em evento virtual da National Association for Business Economics (Nabe), Knot destacou o papel do BCE para conter riscos sistêmicos, no contexto da pandemia da covid-19.

Knot disse que os bancos europeus "têm se saído bem em testes de estresse".

Ele também defendeu a importância de coordenação em reformas no setor, a fim de garantir que a resiliência seja mantida, conforme muda o quadro econômico e financeiro.

Klaas Knot afirmou ainda que a economia da zona do euro deve crescer "mais de 4%" em 2021. Segundo ele, há a possibilidade de que esse resultado seja ainda mais forte, conforme a região avança em seu programa de vacinação contra a covid-19.

Durante evento virtual, Knot disse que o comércio global está "mais ou menos completamente recuperado" após o choque da pandemia, enquanto o setor industrial também se mostra mais vigoroso. Já em serviços o quadro ainda é influenciado pela pandemia e pelas medidas para contê-la, notou.

O dirigente disse que alguns países, como os Estados Unidos, o Reino Unido e Israel, estão mais avançados do que as nações da zona do euro na vacinação, mas previu que a região ganhará mais impulso nessa frente.

Escrito por:

Estadão Conteúdo