Publicado 05 de Maio de 2021 - 19h20

Por Estadão Conteúdo

O Mercado Livre divulgou nesta quarta-feira, 5, um prejuízo líquido de US$ 34 milhões no primeiro trimestre de 2021, ou perda de US$ 0,68 por ação. O trimestre encerrou com um lucro antes de impostos de US$ 9,5 milhões, contra uma perda de US$ 16,7 milhões durante o mesmo período de 2020.

A receita líquida do primeiro trimestre foi de US$ 1,4 bilhão, um aumento ano a ano de 111,4% em dólares e 158,4% em moeda constante. A operação no Brasil representa 56% da receita líquida total da companhia, tendo alcançado US$ 768,7 milhões, crescimento de 93% em dólar e 139% em real, ano contra ano.

O volume de vendas (GMV - Gross Merchandise Volume) foi de US$ 6,1 bilhões, representando um crescimento ano a ano de 77,4% em dólar e 114,3% em moeda constante - 72,9% desse valor provém de transações feitas em dispositivos móveis. O Brasil foi um dos destaques durante o trimestre, com crescimento de 84% em volume de vendas, em moeda constante, com avanço sequencial de 8 pontos percentuais contra o quarto trimestre de 2020. Foram vendidos 222 milhões de itens, o que significa um crescimento ano a ano de 110,2%.

A empresa informa que foram enviados 208,1 milhões de itens por meio do Mercado Envios, plataforma de logística da companhia. O número representa aumento de 130,7% em relação ao mesmo período do ano anterior. No Brasil, a penetração da rede logística própria atingiu 83% do total das entregas no período, versus 79% do quarto trimestre de 2020.

Além disso, o volume total de pagamentos (TPV - Total Payment Volume) processados do Mercado Pago no trimestre foi de US$ 14,7 bilhões, um aumento ano a ano de 81,8% em dólares e 129,2% em moeda constante. No período, foram realizadas 630,1 milhões de transações, o que representa um aumento de 116,7%.

O volume total de pagamentos fora da plataforma atingiu US$ 8,5 bilhões, com um crescimento ano a ano de 82,5% em dólares e 136,4% em moeda constante. Foram 478,9 milhões de pagamentos no trimestre, representando um crescimento ano a ano de 120,4%.

Escrito por:

Estadão Conteúdo