Publicado 28 de Abril de 2021 - 18h00

Por Thaís H. Bento/Correio Popular

O Guarani conseguiu segurar a vitória de 1 a 0 diante do Santo André, fora de casa, na última segunda-feira e chegou a zona de classificação do Grupo D do Campeonato Paulista. A equipe possui 11 pontos e o líder Mirassol tem 14. Em oito jogos até o momento, os dois desempenhos positivos foram longe do estádio Brinco de Ouro.

O técnico Allan Aal afirmou que na visão dele o Bugre não caiu de rendimento na segunda etapa: "Acho que o adversário usou daquilo que há muitos jogos vem utilizando e a gente analisou, viu os jogos, procurou discutir que essa bola aérea, essa força física, esse contato na busca de espaço por bola longa, a gente teve que se adaptar e teve que ter a humildade de se adaptar para manter o placar. É um jogo diferente dos jogos que a gente vinha jogando, com uma equipe de muito poder de bola aérea. Então a gente procurou jogar, poderia até ter feito o segundo gol em duas ou três puxadas de transição que conseguimos pressionar o adversário, mas não conseguimos, mas o mais importante é que vencemos a partida e estamos na zona de classificação", explicou.

Allan Aal comentou também sobre a estratégia usada pelo Guarani dentro de campo: "No primeiro tempo, a gente procurou dar essa mobilidade que a gente vinha tendo, essa agressividade ofensiva para poder abrir o placar. E no segundo tempo, a equipe deles utilizou o que eles têm de melhor, que é a bola aérea. E aí soubemos neutralizar e ter a humildade, principalmente, de saber jogar o jogo, abrindo mão até, em alguns momentos, daquilo que tem nos feito diferentes no campeonato, que é essa transição rápida. Mas não estava tendo espaço para essa transição. Muita bola aérea, disputa física, contato. Mas conseguimos o resultado, fizemos uma partida equilibrada".

Como o Santo André trouxe mais dificuldades para o Bugre na segunda etapa, o zagueiro Romércio entrou na vaga do atacante Bruno Sávio, essa foi uma das alterações feitas. "Foi justamente para neutralizar o que a equipe do Santo André tinha de mais forte, que é a bola aérea. Iniciou o segundo tempo já com um jogador de 1,92m à frente, se juntando a mais três atacantes. A gente sofreu em alguns momentos pela nossa equipe não ser uma equipe tão física quanto é a do Santo André. E a gente neutralizou aquilo que poderia trazer em resultado negativo, resultado adverso, a conclusão do gol adversário", disse.

 

Próximo jogo

O Guarani volta a campo apenas no domingo contra o Novorizontino, ainda sem horário definido, no estádio Brinco de Ouro da Princesa, jogo válido pela 10ª rodada do Paulistão. A equipe de Campinas ainda não venceu no seu estádio e busca quebrar este tabu o quanto antes. A última vitória foi em 16 de dezembro de 2020 contra o Concórdia pela Série B.

O treinador disse ainda na coletiva pós-jogo sobre a necessidade de adaptação para cada partida: "A gente quer manter uma base, mas ao mesmo tempo, conforme a necessidade, a gente tem que se adaptar ao adversário para que a gente possa ter alternativas tanto para atacar buscando a vitória quanto para buscar um resultado. E foi o que aconteceu hoje. Hoje era um jogo muito físico, de muito contato, de muita bola aérea".

 

Contratos

O Conselho de Administração informou qual a porcentagem que o clube possui sobre atletas formados nas categorias de base do clube. O Guarani possui 40% do meia Renan Rodrigues, que está na base do Cruzeiro; 20% do meia Gabriel Menino, que está no Palmeiras e também sobre o atacante Matheus Davó, emprestado ao clube pelo Corinthians; 27% do goleiro João Vitor, na base do Flamengo; 10% sobre atacante Gabriel Pereira que está no Corinthians e 7% do atacante Elias, que veste a camisa do Grêmio.

 

Escrito por:

Thaís H. Bento/Correio Popular