Publicado 28 de Abril de 2021 - 17h43

Por Lucas Rossafa/ Correio Popular

O ônibus da Ponte Preta foi apedrejado na saída do Moisés Lucarelli após derrota diante da Internacional de Limeira por 1 a 0. Durante o ataque dos torcedores da Macaca, jogadores registraram, por meio das redes sociais, os momentos de tensão, além dos ferimentos causados pelos estilhaços do vidro - Vini Locatelli foi o único atingido.

Em massa, os atletas publicaram, no Instagram, um nota de repúdio a respeito do tema e revelaram insatisfação com o ocorrido.

"Repudiamos veementemente as atitudes covardes que supostos "torcedores" tiveram na saída do nosso ônibus após o jogo de hoje. Ameaçaram nossa integridade física e, diferentemente do que eles pensam, essa conduta não nos motiva. Exigimos respeito aos atletas e comissão da Ponte Preta, pois damos nosso melhor em prol do clube. Isso é inaceitável. Até quando teremos de lidar com ameaças absurdas no meio do futebol brasileiro? Basta!".

Por meio da assessoria de imprensa, a Ponte Preta também se manifestou sobre os ataques.

"A Associação Atlética Ponte Preta repudia veementemente a ação absurda de pessoas que atacaram o ônibus da equipe após o jogo da noite desta segunda-feira e, entre outras ações, quebraram o vidro traseiro do ônibus, cujos estilhaços causaram escoriações nos atletas e feriram o meia Locatelli. A Ponte acionou as autoridades, está disponibilizando todas as imagens para a polícia e vai colaborar e atuar para que os responsáveis sejam identificados e exemplarmente punidos nas formas da lei".

Durante a madrugada de ontem, integrantes da diretoria e Locatelli marcaram presença em uma delegacia de Campinas.

Por lá, a dupla registrou Boletim de Ocorrência, além de realizar exame de corpo de delito, cujo objetivo foi mostrar as escoriações e os ferimentos no corpo do atleta.

Ter o Gorilão atacado por vândalos, na saída do Majestoso, tornou-se algo não tão raro na Ponte Preta. Em agosto de 2020, situação se repetiu, depois de empate por 3 a 3 com o Vitória, pela Série B.

Opinião

Fábio Moreno condicionou revés da Macaca diante da Inter com o mau desempenho nas finalizações. Em entrevista coletiva, treinador reconheceu as dificuldades impostas e as tentativas fracassadas da Macaca, especialmente no segundo tempo.

"Eu acho que a dificuldade que a Inter impôs, por ter feito o gol logo no começo, mudou o jogo. É difícil jogar contra a Inter quando ela está à frente do placar, porque marca baixo. Eles contam com goleiro que usa bem os pés, então dificulta também a marcação ou pressão, porque consegue conduzir bem a bola ali e fazer os passes entre linhas. Então acaba que fica com um a mais até na linha ofensiva. Dificulta bastante", afirmou.

"A gente tentou, continuou com posse de bola e teve jogadas. No primeiro tempo, eu acho que conseguimos criar até o jogadas claras de gol. Tivemos a bola parada também boa. A impressão que eu tive é que poderia jogar até amanhã que a bola não iria entrar. Não foi o nosso dia. A gente lamenta e pede desculpa a nossa torcida. É pedir um pouco mais de paciência para continuar trabalhando, que esse grupo já deu a resposta de que tem qualidade e tem condições de honrar a camisa de uma melhor forma do que foi", emendou.

Felipe

A Ponte Preta oficializou a contratação de Felipe para sequência do ano. Lateral-direito desembarcou no Moisés Lucarelli para realização de exames médicos antes de assinar contrato até o fim da Série B. Em busca de maior rodagem e experiência na carreira, ala será cedido pelo Grêmio por empréstimo. Aos 21 anos, jogador disputou quatro confrontos pelo Tricolor Gaúcho a partir de fevereiro, principalmente na fase prévia da Copa Libertadores da América, além de passagem pelo Brasil de Pelotas na última temporada, quando atuou por 24 vezes.

Escrito por:

Lucas Rossafa/ Correio Popular