Publicado 27 de Abril de 2021 - 19h51

Desorganizada taticamente, a Macaca não conseguiu construir nenhuma jogada de perigo ao gol da Inter

Álvaro Júnior/ Ponte Press

Desorganizada taticamente, a Macaca não conseguiu construir nenhuma jogada de perigo ao gol da Inter

Em atuação pobre e sem emoções, Ponte Preta foi derrotada pela Internacional de Limeira, ontem à noite, no Estádio Moisés Lucarelli, pelo placar de 1 a 0, em duelo válido pela oitava rodada do Campeonato Paulista.

O gol do Leão foi marcado pelo centroavante Roger, revelado nas categorias de base campineiras, aos dez minutos do primeiro tempo.

Com resultado negativo em casa, o segundo em três jogos disputados, Alvinegra estaciona em dez pontos, na terceira colocação do Grupo B, fora da zona de classificação às quartas de final - Ferroviária (11) e São Paulo (25) ocupam o G2.

A Internacional, por sua vez, respira na luta contra a zona de rebaixamento, principal objetivo da temporada, e salta para nove tentos, agora em segundo lugar do Grupo A.

Com tempo curto de recuperação e descanso, clubes voltam a campo na próxima quinta-feira, 29 de abril, pelo Estadual.

Enquanto a Ponte Preta encara o Mirassol, novamente no Majestoso, às 21h, Gigante de Limeira visita o Palmeiras, no Allianz Parque, em São Paulo, a partir das 22h.

Resumo

Com sede de jogo, Ponte Preta abriu a partida com duas boas oportunidades criadas com menos de dez minutos de jogo, com Apodi e Ruan Renato, mas sem força ou pontaria suficientes para balançar as redes.

Logo no primeiro ataque sofrido, entretanto, Internacional de Limeira deu aula de efetividade e, em contra-ataque cirúrgico, pautado em velocidade e triangulação, foi à rede com Roger, desligado pela diretoria em agosto do ano passado.

O golpe sofrido na primeira finalização ao gol de Ygor Vinhas fez Macaca perder confiança e murchar sob ponto de vista anímico.

Levou bom tempo, na verdade, para estratégia traçada inicialmente por Fábio Moreno se encaixar novamente, tornando-se bem previsível, na tentativa de buscar o empate, por mais de 20 minutos.

Com Paulo Sérgio e Pedrinho como figuras decorativas na frente, time campineiro teve, de forma geral, lampejos na etapa inicial no Moisés Lucarelli com parceria entre Camilo e Moisés.

Em desvantagem, Alvinegra enfrentou dificuldades para atacar pelo chão e apostou no jogo aéreo para tentar surpreender o Leão.

Com pouca intensidade pelos dois lados e nervosismo de sobra, Ponte viu o jogo ficar arrastado, com pouca qualidade e maior disposição, além de ter batido cabeça na marcação no meio-campo, setor marcado por alta movimentação entre os homens de frente do time de Limeira.

Apesar da conversa no vestiário, aposta de Fábio Moreno para mudar o comportamento do time em campo, Ponte Preta apresentou até mais dificuldades na etapa complementar e retrocedeu coletiva e tecnicamente.

Desorganizada sob ponto de vista tático, Macaca não conseguiu encaixar nenhuma jogada na frente, apesar dos esforços de Camilo e Moisés, e não furou o sólido sistema defensivo, que praticamente não viu o goleiro Jefferson Paulino trabalhar.

Com peças importantes sumidas nos últimos 45 minutos, agremiação campineira viu os visitantes, bem montados, alcançarem triunfo pelo placar mínimo e sepultar tabu histórico de 35 anos no Moisés Lucarelli.