Publicado 21 de Abril de 2021 - 19h11

Por Lucas Rossafa/ Correio Popular

Bugre coloca fim à sequência de duas derrotas consecutivas; próximo jogo é contra o Palmeiras, na sexta-feira

Thomaz Marostegan/ Guarani FC

Bugre coloca fim à sequência de duas derrotas consecutivas; próximo jogo é contra o Palmeiras, na sexta-feira

O Guarani colocou fim à sequência de duas derrotas consecutivas no Campeonato Paulista e reabilitou-se em grande estilo ao superar a Ferroviária, ontem à noite, na Arena da Fonte Luminosa, pelo placar de 2 a 1, em duelo válido pela quinta rodada.

Bruno Mezenga, artilheiro do torneio regional, abriu o placar a favor da Locomotiva, enquanto Andrigo e Saulo (contra) anotaram a favor do Bugre em Araraquara.

Com resultado positivo, segundo sob comando de Allan Aal na temporada, Alviverde salta a oito pontos, ainda na terceira colocação do Grupo D, empatado com o Mirassol, mas ganha respiro na luta contra a zona de rebaixamento.

Com tempo curto de preparação, time campineiro volta a campo pelo Estadual nesta sexta-feira, diante do Palmeiras, no Brinco de Ouro da Princesa, a partir das 20h.

[INTERTITULO]O jogo

[/INTERTITULO]Nem o mais otimista aficionado por futebol poderia imaginar um início de confronto tão agitado na fria Araraquara.

Com muita disputa e intensidade para aquecer as pernas, Ferroviária e Guarani protagonizaram largada frenética, em menos de dez minutos, com dois gols, lançamentos milimétricos em construção de jogadas e também erros defensivos.

Logo com dois, em escapada de Felipe Marques em cima de Romércio na ponta direita, Bruno Mezenga, artilheiro do Campeonato Paulista, recebeu toque limpo, não perdoou e fuzilou Rafael Martins, na entrada da área.

O que poderia ser um início terrível ao Bugre, entretanto, transformou-se, cinco minutos, em alívio com reação imediata e bola na rede.

No primeiro ataque, em escapada de Davó, após passe certeiro de Rodrigo Andrade, Andrigo aproveitou rebote do goleiro para igualar e colocar os nervos no lugar.

Mesmo com controle da bola e percentual de 65%, Ferroviária, com menor disposição, não exigiu nenhuma grande intervenção de Rafael Martins, estreante da noite.

O principal ponto forte do rival, na etapa inicial, foi Felipe Marques, válvula de escape para atacar pela direita - por ali, inclusive, time mandante construiu todas as jogadas, sempre das pontas para o meio.

Embora muito jovem, Davó destoou, em termos de qualidade técnica e potencial de evolução, no Guarani.

Titular pela primeira vez, atacante chamou a responsabilidade e foi o nome de maior destaque - chegou perto, inclusive, de balançar as redes em duas cabeçadas quase fatais antes do intervalo.

Em uma das testadas, Saulo realizou ótima defesa debaixo das traves, enquanto na segunda tentativa a bola beijou o travessão e não entrou.

De maneira geral, as quatro modificações promovidas por Allan Aal na escalação surtiram efeito, em especial no meio-campo. Por ali, a entrada de Bruno Silva ofereceu dinâmica totalmente diferente em relação ao revés diante do São Paulo.

O camisa 6, além de dar outra cara na marcação, o que traz maior proteção ao miolo de zaga, também ajudou com efetividade nos passes, poucos erros na transição e, de quebra, alavancou o rendimento de Rodrigo Andrade, parceiro de setor.

Ao contrário da etapa inicial, segundo tempo teve nova apresentação. Ferroviária e Guarani, precavidos protagonizaram partida mais truncada, com marcação mais forte e adiantada e menos futebol sob ponto de vista técnica. 

Escrito por:

Lucas Rossafa/ Correio Popular