Publicado 28 de Abril de 2021 - 15h23

Por Ângelo Barioni/ Correio Popular

Covardia

A atitude de torcedores da Ponte Preta em atacar o ônibus da equipe, após a derrota para a Inter de Limeira, é extremamente lamentável e criminosa. Felizmente para os atletas o susto foi maior, muito embora alguns foram atingidos pelos estilhaços dos vidros quebrados e sofreram escoriações. Mesmo que não houvesse vítimas essa ação tem de ser repudiada com veemência. Além da agressão ao ser humano, o prejuízo material também deve ser levado em conta e os culpados punidos exemplarmente.

Outra vítima

Ariel Holan estava incomodado com a reação dos torcedores ao mau momento do Santos. Além do protesto na porta da Vila Belmiro depois da derrota para o Corinthians, torcedores foram à casa do treinador soltar rojões.

Fogos de artifício em frente à sua casa. Palavrões, ameaças. O clima de violência foi a gota d'água para o fim do projeto de três anos. Ariel Holan vai embora incomodado com o período que viveu no Brasil. Lamentável

"Na Itália, como também no meu país, na Argentina, corre-se o risco de falar sempre do futebol e de abandonar os outros esportes". Jorge Mario Bergoglio - Papa Francisco

Vandalismo

"Torcedores" protestaram em frente ao estádio Moisés Lucarelli após a derrota da última segunda-feira por 1 a 0 diante da Inter de Limeira e atacaram o ônibus da Ponte Preta com pedras. Os estilhaços atingiram o jogador Vinícius Locatelli, mas o atleta passa bem.

Vandalismo 2

O clube e os jogadores divulgaram nas redes sociais imagens da cena e fizeram um Boletim de Ocorrência no 1º Distrito Policial. Em nota, se manifestaram contra o acontecido e disseram que repudiam a ação.

Erros

Além de não ser permitida a presença de torcedores dentro e fora do estádio, devido à pandemia do conoranírus, há toque de recolher em todo o Estado de São Paulo todos os dias das 20h às 5h. Esses "torcedores" causaram danos ao clube e ainda infringiram a lei.

Treinamentos

O Guarani, após ter vencido o Santo André na última segunda-feira por 1 a 0, terá toda a semana para se preparar para o próximo confronto. O Bugre vai receber no domingo o Novorizontino no estádio Brinco de Ouro da Princesa, o horário ainda não está definido.

Derrotas

Para esse jogo, o Guarani busca quebrar uma sequência negativa dentro de casa: o time não vence há 10 jogos no Brinco de Ouro. Caso some mais uma derrota ou empate, o Bugre vai ultrapassar a marca negativa de 11 partidas sem vitórias em 1987.

4 meses

A última vitória do Guarani no estádio Brinco de Ouro foi dia 16 de dezembro do ano passado, ainda pela Série B do Brasileiro, com placar de 1 a 0 contra o Confiança.

Reforço

O lateral direito Felipe, que pertence ao Grêmio, chegou ao Majestoso ontem (27) para realizar exames médicos e vai defender a Ponte Preta até o fim da Série B desse ano. O clube pretende inscrever o atleta já para o Paulistão.

Opção

Felipe, de 21 anos, vai poder ajudar a Ponte Preta, já que o único lateral direito de origem do time é Apodi, com 34 anos.

Messi

PSG faz proposta a Messi e oferece dois anos de contrato ao jogador. Craque do Barcelona está na reta final de vínculo com o clube catalão e já pode assinar um pré-contrato. PSG mantém otimismo e acredita que valores oferecidos são “insuperáveis”.

Vacina

Após abrir as portas para a possibilidade de permitir torcida nos jogos da próxima edição da Eurocopa, a Itália decidiu nesta terça-feira que o acesso ao estádio será concedido apenas a torcedores vacinados contra a Covid-19 ou com testes negativos.

Motivado

O Guarani entrou na zona de classificação do Grupo D e jogou o Santos para a terceira posição ao derrotar o Santo André pelo placar de 1 a 0, na noite desta segunda-feira, no Canindé. O resultado é um alento para o Bugre que conquistou importante resultado fora de casa e está a um passo de concretizar sua classificação para a fase semi-final do Paulistão. Uma vitória contra o Novorinzontino, domingo, no Brinco de Ouro será importante para o time de Allan Aal encontrar o equilíbrio necessário para o Dérbi do dia 5 de maio.

Escrito por:

Ângelo Barioni/ Correio Popular