Publicado 26 de Abril de 2021 - 17h48

Por Gilson Rei/ Correio Popular

Fundado em 1981, o Grupo Primavera produz fantoches há 40 anos e, neste período, atingiu a marca de mais de 11 mil pessoas atendidas por meio de seus programas de educação complementar, cultural e profissional

Kamá Ribeiro/ Correio Popular

Fundado em 1981, o Grupo Primavera produz fantoches há 40 anos e, neste período, atingiu a marca de mais de 11 mil pessoas atendidas por meio de seus programas de educação complementar, cultural e profissional

Usar bonecos animados como ferramentas pedagógicas na educação infantil com histórias lúdicas, recheadas por fantasias e sonhos, é a proposta do Grupo Primavera que começou a ser aplicada neste mês com o início do projeto de capacitação "Teatro de Fantoches". Ao todo, 119 educadores sociais de 37 Organizações da Sociedade Civil (OSCs) e creches de Campinas participam do projeto deste ano, que está na 12ª edição e já foi realizado em 17 cidades brasileiras.

O Grupo Primavera deu início à capacitação dos educadores de forma remota no dia 10 deste mês e seguirá até o final do ano, passando técnicas e aperfeiçoamentos com a meta de facilitar e enriquecer o ensino na educação infantil, principalmente nestes tempos de pandemia que não contam com aulas presenciais em sua totalidade. O Teatro de Fantoches é um projeto que valoriza a infância e o lúdico no processo de aprendizagem.

Os educadores das 37 OSCs e creches vão aprender a utilizar diferentes métodos de manipulação e contação de histórias. Com isso, poderão surpreender as platéias de crianças que irão acompanhar as histórias pelas telas do celular ou computador.

Patrocinado pelas empresas DHL, Buckman e CI&T, com apoio da Escola Tigrinhos, o Teatro de Fantoches inclui aulas remotas e um kit formado por 16 bonecos, que são produzidos na oficina do Grupo Primavera. O kit conta com personagens lúdicos, como o "robô", o "celular" e tantos outros como o "vovô" e a "vovó". Além disso, um mini palco de papelão integra o kit de bonecos.

A coordenadora de produção da ONG Primavera, Josiane Teixeira Pires Brito, destacou que, por conta da pandemia, o projeto está sendo realizado de forma remota neste ano e até superou as expectativas. "O projeto é um sucesso entre os 119 educadores sociais, que estão superentrosados em apenas duas aulas realizadas até o momento. Estão animados e amando as técnicas. Eles já começaram a utilizar os bonecos e esboçar algumas brincadeiras educativas", comentou Josiane.

O tema principal neste ano é a tecnologia, mas o kit de bonecos permite também incluir outros temas como alimentação saudável, inserção social, meio ambiente e outros.

"Os educadores recebem um livreto que orienta e dá dicas. Porém, eles podem trabalhar de forma lúdica e criativa o tema que for mais adequado para o grupo de alunos que vai assistir e interagir com o teatro de bonecos", explicou. "Podem trabalhar, por exemplo, a dificuldade de leitura de sua turma de alunos, ou adotar outro aspecto de ensino. O educador vai sentir o que o aluno está precisando", disse.

Josiane disse que o projeto de capacitação é de um ano, dividido em etapas. Em julho há um monitoramento, onde são trabalhadas as dificuldades e dúvidas. No segundo semestre há um aperfeiçoamento e a preparação para a apresentação teatral dos bonecos que será feita no final do ano.

Ruth Maria de Oliveira, gestora executiva do Grupo Primavera, destacou primeiramente o aspecto das relações sociais na educação das crianças. "O Teatro de Fantoches oferece um resultado preciso e rápido no desenvolvimento da educação e na construção de relações sociais. Ajuda na construção da cidadania e da cultura. Neste ano abordaremos temas ligados à tecnologia, em especial neste período em que as crianças tem mais contato com celular e computadores", explicou.

A gestora comentou que a capacitação é o primeiro contato dos educadores com o projeto de fantoches. "É o momento de encantar e chamar a atenção de cada um deles sobre a importância de se trabalhar na sala de aula com os fantoches. O que fazemos é apresentar o projeto de forma alegre e lúdica para que o educador seja o primeiro a se encantar com o material para, posteriormente, encantar seus alunos", disse Ruth.

Capacitação

Segundo a gestora da instituição, a capacitação vai além das técnicas. "Trabalhar com fantoches não é somente manipular o boneco, cantar uma música ou mesmo brincar com eles. Envolve técnicas de narração oral cênica, entendendo o processo de interatividade com o público e a criatividade na construção e adaptação de histórias", afirmou.

A capacitação online é transmitida pelo Grupo Primavera e ocorre por meio do Google Meet, com aulas da arte educadora Léia Simioni e com a equipe de profissionais da instituição.

Grupo atendeu 11 mil pessoas desde 1981

O Grupo Primavera, fundado em 1981, recebe crianças, adolescentes e jovens de 6 a 18 anos do entorno do Jardim São Marcos. O ingresso na instituição segue critérios como perfil socioeconômico vulnerável e a necessidade dos atendidos estarem matriculados na rede pública de ensino. Em 40 anos de existência, o Grupo Primavera atingiu a marca de mais de 11 mil atendidos por meio de seus programas de educação complementar, cultural e profissional.

 

O objetivo é de reduzir os riscos sociais aos quais estão expostos, capacitando-os e trabalhando para torná-los cidadãos ativos na sociedade. Oferece aos atendidos conteúdos pedagógicos inovadores e princípios relevantes como pontualidade, respeito, participação, colaboração, organização, disciplina, iniciativa e empreendedorismo.

Escrito por:

Gilson Rei/ Correio Popular