Publicado 24 de Abril de 2021 - 18h29

Por Ana Cristina Andrade/ Gazeta de Piracicaba

Retroescavadeira foi usada para desenterrar o corpo do empresário (à esq.); o jovem de 26 anos, autor confesso do latrocínio, chegando na delegacia

Divulgação/ Mateus Medeiros/ Gazeta de Piracicaba

Retroescavadeira foi usada para desenterrar o corpo do empresário (à esq.); o jovem de 26 anos, autor confesso do latrocínio, chegando na delegacia

Foi preso anteontem um jovem de 26 anos que confessou ter matado o empresário Mário Penatti, de 66 anos, e enterrado o corpo dele em sua própria chácara, na cidade de São Pedro. A Polícia Civil de Piracicaba, por meio da Delegacia de Homicídios (DH), unidade da Divisão Especializada em Investigações Criminais (Deic), procedeu a prisão do acusado.

Não fosse o suspeito indicar onde havia enterrado a vítima, ninguém saberia. É que o corpo estava numa cova com aproximadamente dois metros de profundidade e foi necessária uma retroescavadeira para abrir o buraco.

Pelo avançado estado de decomposição, mesmo com o rapaz confessando a autoria sem demonstrar nenhum arrependimento, a delegada Juliana Ricci requisitou que seja feito exame de DNA.

Penatti, que era conhecido em Piracicaba por atuar no ramo de instalação de piscinas, não havia sido dado como desaparecido em nenhum momento. Porém, recentemente, policiais da delegacia especializada receberam informações de que alguém teria visto sangue dentro da casa do empresário, contudo, que uma pessoa havia ido até lá e não tinha encontrado sangue e nem o empresário.

Uma testemunha, que a polícia prefere preservar, levou a equipe de investigação na casa de quem poderia ter informações do empresário, justamente o rapaz de 26 anos, que estava morando na propriedade de Penatti há cerca de um mês. Ele seria um “faz tudo” do empresário.

A princípio, o jovem negou que soubesse qualquer coisa sobre o paradeiro de Penatti, entretanto, ele estava com pertences da vítima. Inclusive, a polícia descobriu que o rapaz havia vendido a moto e trocou o carro de Penatti por outro veículo, que ele (o autor do crime) estava usando, e que até mesmo havia pegado uma parte em dinheiro.

Os investigadores foram ao estacionamento, onde os donos confirmaram que o rapaz esteve lá fazendo a negociação. Diante das evidências, até mesmo porque ele estava de posse do celular da vítima e chegou a responder mensagens para a polícia, o jovem acabou confessando o crime, mas não revelou a motivação.

O acusado do crime também estava com a escritura da chácara onde Penatti foi enterrado. Pessoas que moram próximos à propriedade chegaram a dizer que houve uma festa no local no último final de semana e um vizinho até garantiu ter visto Penatti na propriedade.

“Impossível”, disse a delegada. “Eu não sou perita, mas, pelo estado do corpo, tudo indica que ele estava morto há, pelo menos, três semanas”, acrescentou.

O autor do homicídio está em prisão temporária por 30 dias.

Escrito por:

Ana Cristina Andrade/ Gazeta de Piracicaba