Publicado 30 de Abril de 2021 - 20h53

Por AFP

Depois de ficar sob os holofotes como um dos promotores da fracassada Superliga europeia, o Real Madrid recebe o Chelsea nesta terça-feira (16h00, pelo horário de Brasília) no jogo de ida em busca de uma vaga na final da Liga dos Campeões.

O terremoto causado pela "rebelião" de doze grandes clubes europeus levou a especulações sobre possíveis sanções contra o Real Madrid por esse movimento, mas o próprio Zinedine Zidane descartou qualquer perigo.

"É um absurdo pensar que não vamos estar na Champions League no próximo ano", disse o treinador dos "merengues" nesta segunda-feira em coletiva de imprensa antes do jogo de ida das semifinais do torneio continental contra o Chelsea, que também fez parte do projeto da Superliga.

Zidane se manifestou dessa forma depois que o presidente da Uefa, Aleksander Ceferin, sugeriu, no domingo, possíveis sanções pela tentativa de criação da Superliga, o que gerou especulações sobre uma possível exclusão do clube madrilenho da próxima edição da Liga dos Campeões.

"Fala-se muito sobre este assunto, por dentro, por fora ... mas o que tem que importar é o jogo de amanhã", insistiu Zidane, que luta por seu quarto título de Champions League como treinador do Real Madrid.

"Não imagino que possa haver qualquer tipo de vantagem ou desvantagem (nas semifinais) devido aos debates sobre as políticas esportivas, não quero nem pensar nisso, não me passa pela cabeça", disse na mesma linha seu homólogo do Chelsea, Thomas Tuchel, nesta segunda-feira afirmando que "merecemos estar na semifinal, assim como o Real Madrid".

Muito além dos imbróglios burocráticos, o Real Madrid encara a partida como forma de reação após uma única vitória nos últimos quatro jogos.

A equipe merengue também acumula três jogos sem marcar gol nesses últimos quatro jogos, o último deles foi um 0 a 0 diante do Betis, no sábado, em LaLiga.

"Cada vez que perdemos pontos dizem que estamos mal mas não é assim", afirmou Zidane, após o confronto com o Betis. Sua equipe continua lutando pelo título de LaLiga e pela Champions League.

"Estamos vivos nas duas competições, não vamos escolher. Viemos de muitas dificuldades e temos conseguido nos erguer, agora temos mais um mês de competição e vamos lutar até ao fim", disse o treinador francês nesta segunda.

O Real Madrid terá de recuperar a sua melhor versão ofensiva se quiser deixar o estádio Alfredo Di Stéfano com um bom resultado para o jogo de volta em Stamford Bridge, na próxima semana.

A equipe merengue chega sobrecarregado fisicamente a sua trigésima semifinal de Champions na qual poderá contar de volta no meio de campo o alemão Toni Kroos, recuperado de problemas musculares.

Escrito por:

AFP