Publicado 30 de Abril de 2021 - 19h40

Por AFP

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, considerou nesta segunda-feira (26) "sem fundamento" o reconhecimento dos Estados Unidos do genocídio armênio e alertou sobre seu "impacto destruidor" nas relações entre ambos os países.

"O presidente americano fez declarações sem fundamento, injustas e contrárias à realidade", ao reconhecer o genocídio armênio no sábado, declarou Erdogan, alertando sobre o "impacto destruidor" deste gesto de Joe Biden nas relações já tensas entre Ancara e Washington.

"Acreditamos que esses comentários foram incluídos na declaração após a pressão de grupos radicais armênios e círculos anti-turcos", acrescentou o presidente turco.

"Mas esta situação não anula o impacto destruidor desses comentários", reiterou.

A Armênia, apoiada por muitos historiadores e acadêmicos, afirma que 1,5 milhão de pessoas de seu povo morreram em um genocídio promovido pelo Império Otomano entre 1915 e 1917.

A Turquia afirma que tanto armênios como turcos morreram em grande número durante a Primeira Guerra Mundial, mas nega com veemência que houve uma política deliberada de genocídio, um termo que não era definido legalmente até então.

No sábado, Biden reconheceu o genocídio armênio e se tornou o primeiro presidente americano a usar a palavra "genocídio" no comunicado que a Casa Branca costuma emitir com motivo do aniversário desse massacre.

"Se você fala de genocídio, deve olhar para o espelho", respondeu Erdogan nesta segunda.

"Também podemos falar do que aconteceu com os nativos americanos, com os negros e no Vietnã", criticou.

bg-ezz/es/mb/aa

Escrito por:

AFP