Publicado 30 de Abril de 2021 - 18h00

Por AFP

Nazanin Zaghari-Ratcliffe, que tem dupla cidadania britânica e iraniana, acusada de "propaganda" contra a República Islâmica do Irã, foi condenada nesta segunda-feira a um ano de prisão e a outro ano de proibição de deixar o país quando sair da prisão, informou à AFP seu advogado.

A pena "foi anunciada hoje", afirmou Hojjat Kermani, ao informar que o veredicto é "preliminar".

Funcionário da Fundação Thomson Reuters - filial da agência de notícias de mesmo nome -, Zaghari-Ratcliffe, de 42 anos, foi detida em abril de 2016 no Irã, onde visitava a família.

Acusada de tentativa de derrubar o regime iraniano, o que ela nega, foi condenada a cinco anos de prisão e foi enviada à penitenciária de Evin. Terminou de cumprir a pena em prisão domiciliar em 7 de março, mas teve o passaporte confiscado e foi proibida de sair do país.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, criticou a sentença. "É uma decisão totalmente desumana e injustificável", tuitou o ministro das Relações Exteriores, Dominic Raab.

ap/kam/elm/mis/mar/fp

Escrito por:

AFP