Publicado 28 de Abril de 2021 - 12h02

Por Estadão Conteúdo

Após as tensões diplomáticas entre os países que marcaram a passagem do ex-chanceler Ernesto Araújo pelo ministério das Relações Exteriores, o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, disse nesta quarta-feira, 28, que o gigante asiático voltou a ter uma interlocução fluida e produtiva após a posse de Carlos França no Itamaraty.

Ao participar de uma "live" transmitida pelo Centro Brasileiro de Relações Internacionais (Cebri), Yang Wanming informou que, em conversa por telefone com Carlos França, ambos manifestaram o interesse em prosseguir na parceria das vacinas - o imunizante chinês Coronavac é o mais aplicado no Brasil -, assim como em proteger as relações bilaterais.

"Acabei de ter uma ligação telefônica com o chanceler Carlos França e manifestamos o mesmo desejo de continuar nossa parceria das vacinas e proteger um ambiente saudável e amigável das relações bilaterais. Agora temos um diálogo muito fluido e produtivo com o Itamaraty", afirmou o embaixador chinês.

Durante sua fala, Wanming destacou que a China considera ter no Brasil, com quem forma uma das mais "maduras e estáveis relações entre potências emergentes", um parceiro prioritário no enfrentamento da pandemia.

"A parte chinesa vai seguir honrando o compromisso de tornar as suas vacinas um bem público global, dando todo apoio a seu alcance para o Brasil combater a covid-19", afirmou o embaixador.

Escrito por:

Estadão Conteúdo