Publicado 21 de Abril de 2021 - 13h50

Por Estadão Conteúdo

Um grupo de hackers invadiu uma reunião da comissão da mulher advogada da OAB de Santos (SP) realizada na última segunda-feira, 19, compartilhando imagens pornográficas e até se masturbando em frente às câmeras. A advogada que coordenava a reunião, Flávia de Oliveira Santos do Nascimento, relatou o momento que classificou como "inacreditável" e um "ataque ao direito da mulher".

A reunião invadida pelos hackers era aberta e, segundo Flávia, "um momento que levar para a comunidade e debater os conhecimentos dos integrantes da comissão". "Quando a gente pensa nos direitos das mulheres, é muito importante que cada vez mais a gente os difunda", afirmou.

O encontro foi marcado para as 19h da segunda-feira e contou com a palestra da advogada Cindia Moraca, uma especialista em redes sociais que fez uma apresentação sobre "stalking", crime recentemente tipificado pelo Congresso Nacional.

Flávia contou que assim que a reunião começou passou a autorizar a entrada de pessoas na sala virtual, mas achou estranho quatro pessoas desconhecidas pedirem para participar da reunião sem se apresentarem ou abrirem a câmera.

Nesse momento, a advogada se deparou com um usuário de nome "Cuca Beludo" solicitando acesso à reunião. Ela imediatamente negou o pedido e solicitou aos desconhecidos que abrissem as câmeras e se apresentassem. "Eles perceberam que eu tinha percebido", disse.

Foi aí que um dos usuários passou a compartilhar a sua tela com vídeos eróticos, "de mulheres em posições muito degradantes", conta Flávia. A advogada chegou a retirar a pessoa da reunião, mas os outros passaram a abrir as câmeras, sendo que um dos usuários chegou a se masturbar.

A presidente da comissão começou então a tentar derrubar os hackers, mas percebeu que não tinha mais controle da sala. "Ai começaram a entrar aos montes", relata. As participantes da reunião deixaram a sala e abriram um outro link, no qual o encontro ocorreu sem invasores.

Flávia diz que teve "total certeza" de que o episódio foi um ataque ao direto da mulher após realizar nesta terça-feira, 20, uma outra reunião aberta, no âmbito da comissão de "fashion law" - direito da moda. Ela contou que seus pares ficaram receosos em seguir com a reunião após a invasão do dia anterior, mas a advogada já imaginava que não aconteceria o mesmo.

A OAB de Santos tomou conhecimento sobre o caso e disse que vai buscar os meios para apurar o ocorrido.

Leia a íntegra da nota da OAB de Santos

"A Diretoria da OAB Santos repudia toda e qualquer manifestação que ofenda a mulher, seja no ambiente que for, até mesmo o virtual. Em um momento em que o País precisa de união, de solidariedade com o outro, é vergonhoso saber de um episódio que demonstra a violência contra a mulher, quando ela utiliza um meio de visibilidade para, justamente, debater tal situação.

O desrespeito não foi apenas contra um grupo de mulheres de uma comissão que luta na defesa dos direitos de todas as mulheres, mas atingiu uma instituição que tem, como seu maior patrimônio, a defesa e respeito pelos direitos do cidadão.

A OAB Santos vai entrar em contato com a autoridade policial para acompanhamento do caso e posterior punição para os responsáveis."

Escrito por:

Estadão Conteúdo