Publicado 20 de Abril de 2021 - 21h50

Por AFP

O presidente Joe Biden denunciou nesta terça-feira (20) o "racismo sistêmico" que "mancha" a alma dos Estados Unidos, após o julgamento em que o ex-policial branco Derek Chauvin foi condenado pela morte do afro-americano George Floyd.

"O veredicto de culpa não trará George de volta", disse na Casa Branca em um breve discurso televisionado. Mas pode marcar o momento de uma "mudança significativa", acrescentou, chamando a nação a se unir.

"Temos que escutar. "Não consigo respirar, não consigo respirar": estas foram as últimas palavras de George Floyd", lembrou Biden. "Não podemos deixar que morram com ele. Devemos continuar escutando estas palavras. Não devemos nos afastar".

Além disso, o presidente afirmou: "Alguns agitadores e extremistas que não têm interesse na justiça social, tentarão explorar as emoções cruas".

"No podemos deixar que tenham êxito", advertiu.

jca-ad/rsr/mvv

Escrito por:

AFP