Publicado 20 de Abril de 2021 - 10h20

Por AFP

Se JR e Bobby Ewing, os heróis da série de televisão Dallas, vivessem hoje em dia, substituiriam seus poços de petróleo por moinhos de vento? Isso foi o que outro Bobby do Texas fez perto de San Angelo, quatro horas ao oeste de Dallas.

Neste dia de abril de 2021, Bobby Helmers, de 79 anos, escuta o sussurro das enormes lâminas cortando o ar, formando um círculo de 120 metros de diâmetro. Ele ainda não consegue acreditar como elas fazem pouco barulho.

Há três anos, os trabalhadores obstruíam seus nove poços de petróleo com bombas muito barulhentas e, todas as manhãs, se encontravam com os homens que chegavam para levantar as seis enormes turbinas eólicas que agora dominam a propriedade.

O rancho pertence à família de sua esposa Sandra há três gerações. Com um funcionário, o casal cria 125 brangus, uma raça híbrida, cruzamento entre angus (espécie conhecida pela sua carne macia) e brahman (famosa pela sua resistência ao calor).

No entanto, hoje em dia a metade do faturamento da fazenda vem das turbinas eólicas.

A poucos quilômetros, em um pequeno edifício em meio aos cactos, Kevin DeFoor, de 48 anos, dirige uma dúzia de trabalhadores encarregados da manutenção das 76 turbinas eólicas que fazem parte da fazenda de Bobby e Sandra Helmers.

"A região se desenvolveu graças à agricultura, à pecuária e ao petróleo", explica o funcionário da gigante da energia francesa Engie, que opera no local.

Este jovem, ex-agente penitenciário, descobriu tarde que as riquezas da região não estavam apenas no solo.

Em 2007 ele decidiu, pela primeira vez em sua família, trabalhar no setor da energia eólica. Desde então, elogia bastante a consistência do vento local. "Nossas turbinas trabalham 50% do tempo, o que é um ótimo rendimento no setor".

Os anúncios de Joe Biden a favor da transição para as energias limpas têm uma ressonância especial no Texas.

O estado é conhecido pelos seus combustíveis fósseis, mas investiu muito no início da década de 2000 para se transformar no primeiro produtor nacional de energia eólica e o segundo de energia solar na atualidade.

"Ao contrário da crença popular, o governador George W. Bush (1995-2000) e seu sucessor Rick Perry (2000-2015) não queriam que o Texas fosse exclusivamente o estado do petróleo. Queriam que fosse um estado totalmente energético", afirma Joshua Long, professor de meio ambiente da Universidade Southwestern, perto de Austin.

Os combustíveis fósseis e as energias renováveis coexistiram no Texas por muito tempo, e não foi por nenhuma convicção ambientalista que Bobby Helmers trocou o petróleo pela energia eólica.

Instaladas no início dos anos 90, suas bombas de petróleo ficavam um tempo sem bombear muito e seu operador acabou jogando a toalha.

Como o petróleo não é ilimitado, "o desempenho dos poços está destinado a diminuir de ano em ano", explica. "Na energia eólica, a produção é constante. O percentual recebido aumenta após 5 e depois 10 anos, quando os investimentos são mais compensados".

Escrito por:

AFP