Publicado 01 de Março de 2021 - 13h54

Por Luiz Roberto Saviani Rey/ Correio Popular

Causou estranheza em Brasília o afastamento dito temporário de Onyx Lorenzoni da Secretaria-Geral da Presidência da República, na tarde de sexta-feira. A decisão de Jair Bolsonaro, saiu em edição extraordinária do Diário Oficial da União de ontem, e lança dúvidas sobre a volta do ministro, embora nota da secretaria afirme que Onyx se afastou para cuidar de emendas do Orçamento junto ao Congresso Nacional, e que estará de volta à sua mesa até a terça, 2 de março. Há quem duvide.

Onyx Dornelles Lorenzoni, que é gaúcho de Porto Alegre, estaria em queda de braço ferrada, desde que Bolsonaro trouxe de volta à Secretaria-Geral o amigo e assessor José Vicente Santini - irmão do ex-vereador campineiro Tenente Santini. Demitido no ano passado, após uso de aviões da FAB, José Vicente tem força. Apesar de ser visto como braço direito de Bolsonaro, Onyx perde para a maior proximidade de Santini ao presidente e seus filhos.

"É uma tragédia que o Brasil esteja enfrentando isso novamente", Michael Ryan, diretor da OMS

GUERRA ÀS FAKENEWS

O Presidente Executivo do Grupo RAC/Correio Popular, Ítalo Hamilton Barioni, fará palestra na Câmara Municipal de Campinas, nesta terça-feira, dia 2. Falará sobre fakenews e suas consequências para a sociedade. Sua participação na audiência pública organizada pelo vereador Professor Alberto dará base a projeto de lei de criação da semana de combate às fakenews no Município.

INCONFORMADO

Carlos Sampaio, deputado federal por Campinas, é, entre os tucanos, um dos mais inconformados com as tentativas de parlamentares em tornar constitucional a imunidade que privilegie corruptos e praticantes de crimes.

INCONFORMADO 2

Sampaio compara realidades para demonstrar a incongruência da batalha que vem sendo travada na Câmara Federal: “Enquanto o Brasil bate recordes de mortes por covid-19, a Câmara prioriza a votação de uma PEC que busca restringir a prisão de deputados que praticam crimes e permitir que pessoas condenadas possam ser candidatas”.

A PEC NA GAVETA

É bom lembrar que a PEC do Fim do Foro Privilegiado, com o apoio de 80% da população, encontra-se engavetada há 800 dias. “É inaceitável esse descompasso existente entre o que deseja o País e o que a Câmara vota”, diz Sampaio.

QUERER NÃO É PODER

O drama da PEC da Imunidade tem monstrado aspectos positivos. Um deles é a constatação de que nem sempre é possível ao bloco do Centrão - onde estão barões famintos e pigmeus do bulevar - conseguir tudo o que quer.

***

O lado cruel é que a PEC atrasa a votação do auxílio emergencial a trabalhadores.

PASSANDO POR CIMA

O Cerimonial do Palácio dos Jequitibás não foi informado sobre a visita do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, a Campinas. Esqueceram de avisar a principal autoridade da cidade.

BICO FINO

O ex-vereador Jota Silva está de volta ao microfone. Depois de tentar a reeleição, comanda agora programa matinal na Rádio Educativa, da Prefeitura de Campinas.

REBELIÃO

Governadores de estados estão irritados com Bolsonaro, por conta de suas reações à proteção sanitária e restrição social. Wellington Dias, do Piauí: “Não é razoável o líder de um país fazer o cidadão ter de escolher entre comida na mesa e viver”.

***

João Doria, é mais contudente: “O desequilíbrio dele é proporcional à tragédia humana que o negacionismo provocou no Brasil”.

Escrito por:

Luiz Roberto Saviani Rey/ Correio Popular