Publicado 02 de Março de 2021 - 12h23

Por Rodrigo Piomonte/ Correio Popular

Caixa de força sem poteção e o carro ocupado pelo diretor de Esportes ao fundo: servidor ficou constrangido e desconcertado com a situação da praça

Kamá Ribeiro/ Correio Popular

Caixa de força sem poteção e o carro ocupado pelo diretor de Esportes ao fundo: servidor ficou constrangido e desconcertado com a situação da praça

Dez dias depois do empresário Eduardo Giroto, 52 anos, morrer ao receber um choque elétrico ao encostar em um poste energizado dentro da Lagoa do Taquaral em Campinas, outra tragédia se anuncia a poucos quilômetros de distância do local do acidente, e próxima da casa onde a vítima residia com a esposa e o filho de 14 anos.

Moradores da Vila 31 de Março, região Leste da cidade, denunciam o perigo que representa usar as dependências do Clube Municipal Roberto Ângelo Barbosa. Localizado na Rua Ernesto Luís de Oliveira, o equipamento público, que fica a três quilômetros de distância da Lagoa do Taquaral, esconde "armadilhas" que transformam o espaço de lazer em ameaça à integridade física dos frequentadores, entre eles crianças.

Fios soltos e energizados estão à mostra em postes de iluminação, encostados nas estruturas de ferro que sustentam a cobertura da quadra de futebol de salão e até pelo chão, ao lado de poças d’água, aumentando as chances de acidente com descargas elétricas. De acordo com os moradores, a situação é antiga e o espaço é frequentado diariamente por crianças e pela comunidade local.

Os usuários e moradores da praça de esportes relatam também que os fios estão numa situação imprópria há mais de um ano e que a Prefeitura tinha conhecimento, já que vizinhos denunciaram as péssimas condições do local a funcionários da Administração Municipal. Até dezembro do ano passado, o secretário municipal de Esportes era o atual prefeito de Campinas, Dário Saadi (Republicanos).

"Em uma situação normal, esse espaço deveria ser interditado. Mas, ao contrário, é usado diariamente. Não sei como ainda não aconteceu uma tragédia aqui. A Prefeitura tem conhecimento porque já veio até o local. A comunidade cobra, inclusive, através do desenvolvimento de um projeto para administrar a praça com apoio dos empreendedores locais para evitar o abandono", disse o estudante de engenharia civil Denilson Magalhães, 47 anos.

Conforme relato do morador, a praça foi reformada no ano passado. Ele lembra que na placa da reforma constava que a obra tinha custo de R$ 500 mil. A Prefeitura confirma a reforma do espaço, num pacote que incluiu outros quatro equipamentos públicos da cidade. A preocupação do estudante de engenharia com o perigo iminente na praça de esportes do bairro foi compartilhada pelo próprio diretor municipal de esportes, Angelo Diniz.

Ele esteve com a sua equipe no local na tarde de ontem para fazer um diagnóstico dos espaços, com a finalidade de desenvolver um futuro projeto que integra as secretarias de Esportes e de Saúde. "Não sei nem o que falar. Estou sem palavras e surpreso. Realmente, isso não era para ser assim. Com o local dessa maneira, não tem condição nenhuma de receber qualquer tipo de projeto. Já vou passar para a Secretaria para relatar a situação e pedir providências", prometeu o diretor.

Para piorar, ele e os membros da sua equipe chegaram à praça da Vila 31 de Março procurando uma pessoa identificada como "Baiano", que seria o funcionário comissionado da Prefeitura responsável pela administração do espaço. "Não sabemos o nome dele, sabemos que ele é o Baiano, e que deveria estar aqui", disse o diretor, com indisfarçável constrangimento.

A surpresa do diretor criou uma situação hilária diante dos moradores do bairro, que confirmaram que uma pessoa identificada como ''Baiano'' se apresenta como o responsável pela praça de esportes há pelo menos dois anos, mas que é raro encontrá-lo no local. A dona de casa Simone Giroto, 51 anos, viúva do empresário morto após descarga elétrica na Lagoa do Taquaral, moradora próxima à praça da Vila 31 de Março, disse esperar que a morte do marido sirva de alerta para as autoridades tomarem providências para que novas tragédias não aconteçam.

Por meio de assessoria de imprensa, a Prefeitura informou que o caso da morte do empresário está sob investigação e que medidas administrativas estão sendo tomadas pela Secretaria de Serviços Públicos. Entre elas, um relatório técnico está sendo elaborado sobre o ocorrido. Segundo a Administração, uma manutenção no local detectou um defeito eletroeletrônico do capacitor e do ignitor, que derreteram e causaram a transmissão de corrente elétrica no poste que vitimou o empresário.

Nem a Prefeitura conhece o responsável pelo local

A Prefeitura informou ontem por meio de nota encaminhada pela assessoria de imprensa que a Praça de Esportes da Vila 31 de Março recebeu reforma nas partes elétrica e hidráulica, sanitários, quadras, administração, piso, banheiros da piscina, pintura, entre outros, há menos de um ano. Em relação ao funcionário que não estava presente, identificado na tarde de ontem pela equipe da Secretaria como "Baiano", a nota diz que ele não era o chefe de setor do local, e que a Secretaria de Esportes vai apurar qual era a situação dele e tomar as medidas cabíveis.

A equipe da Secretaria Municipal de Esportes disse ainda que vai verificar, o mais rapidamente possível, e tomar as providências que forem necessárias em relação aos apontamentos dos moradores verificados na praça de esportes. A Prefeitura explica que a Secretaria de Esportes é responsável pela gestão de 30 praças de esportes ou clubes municipais na cidade, que são cercadas por alambrados, têm equipamentos e instalações esportivas, algumas com piscinas.

Segundo a Administração, em todas as praças de esportes também há um chefe de setor, que acompanha e verifica o funcionamento em cada uma delas. E a manutenção é feita periodicamente por equipes da Secretaria de Esportes. Além da praça da Vila 31 de Março, a Prefeitura aponta que teriam sido reformados outros quatro equipamentos públicos: Praça de Esportes Benedito dos Santos, em Sousas; Centro de Convivência Integrada, na Vila Boa Vista; Praça de Esportes Dr. Carlos Andrada Pinto, em Sousas; Praça de Esportes Edgar Ariani, no Novo Cambuí; e Praça de Esportes Primavera, na Vila Costa e Silva (em andamento). Sobre a praça de esportes da Vila 31 de Março, a Prefeitura diz que o local terá um novo padrão de entrada de energia, que começará a funcionar nos próximos dias.

Escrito por:

Rodrigo Piomonte/ Correio Popular