Publicado 02 de Março de 2021 - 11h35

Por Da redação

Idosa que optou pela aplicação pelo sistema drive thru observa profissional da saúde preparando a vacina: alívio com a proteção

Kamá Ribeiro/ Correio Popular

Idosa que optou pela aplicação pelo sistema drive thru observa profissional da saúde preparando a vacina: alívio com a proteção

Campinas deu início ontem de manhã à vacinação contra covid-19 de idosos com mais de 80 anos e à aplicação da segunda dose em profissionais da saúde. Esta etapa da campanha de imunização teve início no sábado (27), com a abertura do agendamento online ou pelo telefone 160. Na última quinta-feira, a cidade recebeu 13.650 doses da vacina da Astrazeneca/Oxford, de acordo com informações da Prefeitura.

Para esta nova etapa da vacinação, foram criados mais dois locais de aplicação, totalizando quatro. Além do Centro de Vivência do Idoso na Lagoa do Taquaral e da Escola CAIC Zeferino Vaz, na Vila União, agora os campineiros também têm à disposição postos na Casa da Criança Paralítica, no Parque Itália, e no Clube Círculo Militar, no Jardim Chapadão. Idosos ou pessoas com mobilidade reduzida podem receber o imunizante dentro do veículo.

A vacinação ocorre das 8h às 22h durante a semana. Aos finais de semana, a imunização se dá das 8h às 18h. Para receber a vacina é preciso apresentar um documento com foto e um comprovante de endereço. Para o aposentado José Soares de Souza, 81, morador da Vila São Bento, a oportunidade de se vacinar traz "um pouco de tranquilidade". Ele foi até o Taquaral para receber a primeira dose e deve retornar em maio para a imunização completa. "Eu fico aliviado, pois tomar a vacina me permite ficar mais tranquilo, apesar de que ainda é importante seguir com as medidas de segurança, mesmo depois da segunda dose", observa Souza.

O dia também foi marcado pela vacinação de diversos profissionais da saúde que tomaram a vacina entre o fim de janeiro e início de fevereiro. A psicóloga Maria

Caroline Tocalino, de 45 anos, foi até o Centro de Vivência do Idoso na companhia do filho pequeno. Ela fez questão de celebrar o fato de estar imunizada, mas disse ainda se preocupar com os familiares. "Eu estou feliz de poder tomar a segunda dose, mas ainda fico preocupada com meu filho e meu marido, além dos meus pais também. A gente fica mais aliviada de estar imunizada, mas só dá para ter tranquilidade quando todo mundo tiver vacinado", explica Maria, que observou atentamente a aplicação do imunizante.

"Eu olhei para ver se a vacina foi realmente aplicada. A gente viu alguns casos de falsa aplicação nos jornais e por isso eu fiquei com receio. Felizmente, o procedimento foi todo correto, a pessoa me mostrou a seringa antes e depois de aplicar no meu braço. Então eu me senti segura", conta a psicóloga. O sentimento de segurança marcou igualmente o relato da nutricionista Mônica Forte, de 38 anos.

Ela conta que a segunda dose a deixou mais segura, mas revela que não vê a hora da vacinação chegar aos idosos com 60 anos ou mais por causa da mãe Jocilda Forte, de 65 anos. "Realmente, me trouxe mais tranquilidade tomar a segunda dose, mas eu ainda fico muito preocupada com a minha mãe, que é idosa. Não vejo a hora de ela poder tomar a vacina e, aí sim, ficarei bem mais aliviada", explica Mônica.

De acordo com os dados do Governo do Estado de São Paulo, foram aplicadas 88.168 doses em Campinas, sendo 61.386 de primeira dose e 26.782, em segunda dose. Até ontem, Campinas registrava 69.479 casos positivos de covid-19 e 1.862 mortes pela doença. Para quem está na linha de frente, receber a segunda dose traz um sentimento de felicidade. A auxiliar de enfermagem Izabel Cristina Marques, de 51 anos, deixou o Centro de Vivência do Idoso, no Taquaral, comemorando com o braço levantado.

Moradora do Jardim do Lago, Izabel trabalha no Hospital Estadual de Sumaré e acompanha de perto a luta contra o coronavírus, desde o início da pandemia. "É uma alegria muito grande receber a vacina. Nós que estamos na linha de frente assistimos todos os dias os efeitos dessa doença. Eu tive covid-19, apesar de usar todos os equipamentos de saúde do hospital. É excelente estar imunizada. Espero que possamos ter logo vacina para todos", finaliza.

Escrito por:

Da redação