Publicado 02 de Março de 2021 - 11h20

Por Estadão Conteúdo

Coordenador da área de Educação do Centro de Estudos de Administração Pública e Governo da FGV-SP, Fernando Abrucio acredita que o modelo do governo federal de buscar confronto com governadores e prefeitos pode levar o País para uma guerra civil federativa. Na opinião dele, a gestão Bolsonaro cometeu crime de responsabilidade ao não destinar todo o dinheiro aprovado pelo Congresso ao combate à covid-19. "É pedalada que significou mortes."

Como você vê esse confronto entre governos?

Esse confronto não vem de hoje. A carta dos 16 governadores não foi a primeira. Houve uma similar no primeiro semestre do ano passado. Houve várias cartas de governadores e o País está se afundando cada vez mais na medida em que o governo federal adota táticas de confronto. O resultado líquido dessa briga tem sido mais casos e mortes.

Bolsonaro está mais uma vez jogando a culpa da crise da pandemia para terceiros?

O presidente usa o confronto para esconder as responsabilidades dele e jogar a culpa em alguém. Desde o início do governo, o presidente já havia pensado em um novo tipo de federalismo. Desde a Constituição de 1988, passando pelos governos anteriores, a gente vinha caminhando para um federalismo mais cooperativo. A gente criava sistemas de políticas públicas em saúde, assistência social, recursos hídricos, educação... que exigiam alguma medida cooperativa entre os governos.

E a afirmação do Bolsonaro de que os governadores estavam com muito dinheiro?

Não é verdade. O dinheiro destinado à covid não foi gasto por completo. Tem um modelo na cabeça do Bolsonaro que era muito parecido com o do Trump. É um tipo de federalismo que parte de uma ideia de dar mais autonomia para os Estados. Só que na verdade o que eles fazem é ‘desresponsabilizar’ a União. O Brasil, desse jeito, vai para o modelo de uma guerra civil federativa.

Bolsonaro está contando repasses obrigatórios, como alegam os governadores?

O que é o dinheiro para covid? Vacinas? Ele comprou? Compra de equipamentos para serem distribuídos para hospitais... Não existe posto de saúde federal. Portanto, os gastos tinham que ser feitos com Estados e municípios. O governo não destinou todo dinheiro que tinha para combate da covid. Isso deveria ser crime de responsabilidade. Isso é um tipo de pedalada.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Escrito por:

Estadão Conteúdo