Publicado 01 de Março de 2021 - 20h00

Por AFP

O Senado dos Estados Unidos votará "esta semana" o plano de estímulo econômico promovido pelo presidente Joe Biden, anunciou o líder da maioria democrata na casa, Chuck Schumer, nesta segunda-feira (1º).

Se aprovado pelos senadores, o projeto voltará à Câmara dos Representantes para votação final.

A Câmara Baixa, também controlada pelos democratas, aprovou um plano de US$ 1,9 trilhão no sábado que inclui um aumento no salário mínimo federal por hora.

A versão analisada esta semana no Senado não incluirá esse aumento por uma questão relacionada às regras que regem os textos orçamentários.

Apesar do revés, o presidente Biden pediu ao Congresso que adote "rapidamente" o restante de seu projeto de lei.

"Se agirmos com determinação, velocidade e coragem, podemos finalmente domar esse vírus, podemos finalmente dar um impulso na nossa economia", afirmou Biden no sábado.

"O Senado tratará do plano de resgate esta semana", anunciou Schumer, sem especificar uma data. "Espero um debate difícil e algumas noites longas", acrescentou.

Após horas de debates e negociações, o projeto foi aprovado no sábado na Câmara dos Representantes por 219 votos, todos democratas, a 212 (incluindo dois democratas).

Os republicanos criticam o texto porque consideram suas medidas muito caras e mal direcionadas.

"Por volta das duas horas da manhã de sábado, os democratas da Câmara aprovaram de maneira apressada as despesas em benefício de seu partido, que se fazem passar de plano de resgate contra a pandemia", criticou nesta segunda-feira o líder do minoria republicana no Senado, Mitch McConnell.

Os democratas têm 50 cadeiras no Senado, o mesmo número dos republicanos, mas, em caso de empate, podem contar com o voto de minerva da vice-presidente Kamala Harris.

Embora os membros mais progressistas do partido no poder lamentem a retirada do plano do aumento do salário mínimo, isso poderia facilitar a aprovação do projeto, já que dois democratas de centro se opuseram a ele.

Os democratas querem aprovar o texto antes de 14 de março, dia em que terminará a prorrogação do pagamento do seguro-desemprego definida no plano de resgate anterior.

elc/gma/yow/am

Escrito por:

AFP