Publicado 20 de Fevereiro de 2021 - 19h05

Uma viagem pelo universo carnavalesco de Campinas é a proposta da exposição Do Samba ao Carnaval – A influência rítmica afrodescendente, em cartaz na área expositiva da Estação Cultura.

Com imagens que revisitam os desfiles das escolas de samba, dos blocos de rua e dos momentos expressivos da cultura popular, a mostra pode ser conferida até o dia 22 de março.

O material reúne cerca de 50 painéis com os acervos do Centro de Memória da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Museu da Imagem e do Som de Campinas (MIS), de Aluizio Jeremias, da área de fotografia da Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Campinas e da fotógrafa Fabiana Ribeiro.

Um dos destaques da mostra é a série de imagens que revisitam a atuação de Alceu Estevam na divulgação do samba de bumbo praticado nos quintais das casas de familiares. Mestre Alceu, que morreu em 2018, era referência da cultura afro-brasileira, agitador cultural, defensor e divulgador da cultura negra. Foi um dos fundadores e um dos mais ativos integrantes do grupo de dança e teatro de cultura popular Urucungos, Puitas e Quijengues, formado por Raquel Trindade a partir de um curso na Unicamp.

Ator, fomentador de manifestações populares e de afro-descendência, produtor musical, brincante, Alceu contribuiu de forma significativa para a cultura viva brasileira, com seu conhecimento ancestral do samba de bumbo, vertente campineira do chamado samba rural paulista.

Além dos painéis históricos, o visitante também poderá conferir fotos dos blocos atuais, como Berra Vaca, Jegue Gerson, Unidos do Candinho, União Altaneira, Cupinzeiro, Nem Sangue Nem Areia, City Banda, Tomá na Banda, entre outros.