Publicado 04 de Fevereiro de 2021 - 19h16

Por Lucas Rossafa/ Correio Popular

O principal objetivo da diretoria ? confirmar a contrata??o de um novo treinador bom e barato

Importação

O principal objetivo da diretoria ? confirmar a contrata??o de um novo treinador bom e barato

Não será desta vez o retorno de Marcelo Chamusca ao Guarani. Plano A do Conselho de Administração a partir da transferência de Felipe Conceição ao Cruzeiro, o treinador recusou proposta para assumir o Bugre na próxima temporada.

A negociação teve início no último sábado, data em que a diretoria definiu o profissional como a prioridade, porém sem êxito.

O desempenho recente pelo Cuiabá, a identificação com o clube e a história positiva em 2016 - acesso e vice-campeonato na Série C - eram pontos determinantes na escolha.

O 'não' enviado à cúpula campineira, contudo, se dá pelo fato de esperar melhores oportunidades - financeiras e esportivas - no mercado brasileiro para 2021.

O Juventude, sem Pintado após carimbar retorno à primeira divisão, é tido como um dos possíveis destinos do técnico.

Mesmo com orçamento curto, o Guarani trocou propostas e contrapropostas com Chamusca de forma virtual e decidiu fazer um esforço financeiro por um nome que, internamente, era tido como unanimidade e que teria, na prática, respaldo para iniciar um trabalho de reformulação em meio ao processo de desligamento de atletas.

Com o comandante descartado, o Alviverde volta à estaca zero na busca por um substituto de Conceição e estuda o mercado em busca de um consenso interno.

Quem vem?

Os nomes mais cotados, a partir de agora, são Mozart Santos (CSA) e Allan Aal (ex-Cuiabá) - há pressa para definir o futuro responsável pela gestão do elenco.

Entre as alternativas analisadas desde o último fim de semana, Aal encaixa-se dentro das finanças.

Livre no mercado após não renovar contrato no Mato Grosso, profissional encontra-se em Curitiba, onde reside. Em contato com a reportagem do Correio Popular, Allan garante que, se houver apresentação de um projeto profissional interessante, deve abraçar a chance de dirigir o clube.

Mozart, por outro lado, tem vínculo em Maceió até dezembro, o que exigiria uma reengenharia econômica do Guarani para viabilizar a contratação.

Além dos vencimentos mensais mais caros, o técnico possui multa rescisória considerável para romper o acordo vigente - superior, inclusive, ao recebido por Felipe na saída para Belo Horizonte.

O principal objetivo da diretoria é confirmar a contratação de um novo treinador para, posteriormente, ir com força ao mercado em busca de reforços.

Apesar da pressão da torcida nas redes sociais, o Bugre adota cautela no que diz respeito à chegada de jogadores, embora alguns nomes sejam analisados internamente, mas mantidos em sigilo para evitar (ou diminuir a) concorrência.

Escrito por:

Lucas Rossafa/ Correio Popular