Publicado 16 de Fevereiro de 2021 - 18h45

Por Adriana Giachini/ Correio Popular

O cantor Sandro Saga

Reprodução/ Instagram

O cantor Sandro Saga

O nome de Sandro Saga não raramente é associado ao da banda Quatro Fatos. Afinal, dos 30 anos dedicados à música, 25 são como líder do grupo de Campinas, que chegou, no ápice da carreira, nos 2000, a emplacar faixa na trilha sonora da novela global Caminhos da Índia (Vou ficar Legal) e ter uma na agenda de shows que, literalmente, era de segunda a segunda.

Porém, nem só de fatos vive o cantor que, vire e mexe, se enverada em projetos paralelos entre os quais o álbum solo Clássicos Populares, no qual regrava, como diz o nome, sucessos da música nacional e que chega às plataformas de streaming ainda este mês, segundo o artista.

“Este sempre foi um projeto meu: gravar músicas que fizeram parte da minha vida e da minha adolescência. Canções que eu toquei e cantei em diversas situações, mas sempre de um jeito meio ‘na gaveta', só para amigos que gostavam do estilo”, conta Saga.

E por falar em estilo, a reportagem dá o spoiler: em que pese o nome do álbum, o repertório homenageia mesmo o brega pop nacional, resgatando artistas como Rosana, KLB, Ovelha e a dupla Luan e Vanessa.

“Eu sinceramente pensei em título Bregas ou Clássicos Bregas, mas acabei optando pelo nome Clássicos Populares porque o brega é popular. E não tenho constrangimento algum quando falo que esse sou eu, é o que eu gosto de ouvir e o que trago como referência.”

O cantor conta que decidiu tirar o projeto do papel no ano passado, durante a pandemia e como fôlego extra para família e fãs no combate ao covid-19, especialmente com as medidas como o isolamento social.

“Ficar longe das pessoas não é fácil. Mas é necessário. Tenho um conhecido que morreu de covid, aos 40 anos. Então, não é algo que podemos relaxar e até por isso, a banda Quatro Fatos decidiu não fazer show neste período. Ai, entendi que era a oportunidade para resgatar esse projeto. Escolhi músicas que são felizes, que a gente coloca para tocar e começa a cantar. A música tem esse lado saudoso que não diz respeito só a nossa memória auditiva, mas resgata recordações que mexem com as emoções, com épocas da vida e, muitas vezes, uma canção nos traz aquela sensação de bem-estar.”

Pé direito

O lançamento do álbum começa com o pé direito. Isso porque a faixa de trabalho, Menina Veneno, regravação do sucesso de Ritchie, chegou aos ouvidos do DJ Maurício Cury que não só gostou como acabou fazendo uma versão remixada, eleita carro chefe do disco. A faixa conta ainda com participação do saxofonista Evelton Rodrigues. “O Cury é um DJ bastante conhecido no Brasil, com trabalhos para o BBB, e que faz parte da equipe de suporte do Alok. Fiquei muito feliz com a parceira.”

Álbum Menina Veneno

O álbum ainda conta com participação do baterista Jucka Malatesta e do baixista Gustavo Seixas – ambos de Campinas; além do baixista Paulinho Pereira, de São Paulo. O também baixista Fábio Boto, da primeira formação do Quatro Fatos, é presença, como convidado especial, em três músicas. “São músicos e profissionais que eu respeito, que gostaram do projeto e toparam participar. Mas é só isso. A Quatro fatos continua na ativa, esperando para voltar a tocar.”

Saga ainda conta que está radicado em São Paulo, onde é sócio do estúdio Omne e canta com a banda de baile Like It, que se dedica a tocar em casamentos e formaturas. “Sou um cara de muitos projetos, mas uma só paixão: a música.”

PROJETO CLÁSSICOS POPULARES by Sandro Saga

O AMOR E O PODER (Rosana)

SEM VOCÊ NÃO VIVEREI (Ovelha)

MORDIDA DE AMOR (Yahoo)

SEU MELHOR AMIGO (Fabio Jr)

QUATRO SEMANAS DE AMOR (Luan e Vanessa)

MUITO ESTRANHO (Dalto)

ELA NÃO ESTÁ AQUI (KLB)

RELUZ (Marcos Sabino)

VOLTA PRA MIM (Roupa Nova)

CAÇA E CAÇADOR (Fabio Jr)

MENINA VENENO (Ritchie)[/TEXTO_COLUNA]

Escrito por:

Adriana Giachini/ Correio Popular