Publicado 26 de Fevereiro de 2021 - 10h47

Por Da redação

Profissional da sa?de prepara vacina para aplica??o: recursos repassados pela Uni?o para a?es de enfrentamento ? covid na cidade est?o quase zerados

Ricardo Lima/ Correio Popular

Profissional da sa?de prepara vacina para aplica??o: recursos repassados pela Uni?o para a?es de enfrentamento ? covid na cidade est?o quase zerados

O secretário municipal de Saúde de Campinas, Lair Zambon, afirmou ontem durante reunião virtual com vereadores na Câmara Municipal de Campinas, onde ele prestou contas sobre a pasta, que não está descartado que a Prefeitura compre vacina.

"Até o que eu sei que foi discutido, nós não descartamos essa possibilidade, não estou entendendo o que houve. Como é um assunto muito novo, não existe, ao meu ver, uma coisa clara que Campinas não iria comprar a vacina, posso estar enganado, mas não foi isso que discutimos dentro desse cenário", disse o secretário.

A informação anteontem, confirmada pela assessoria de imprensa da Prefeitura, era de que a Administração Municipal seguiria o Plano Nacional de Imunização. Após o recuo do secretário durante a manhã em conversa com os vereadores, no período da tarde, em nota, a Prefeitura divulgou que o prefeito de Campinas, Dário Saadi (Republicanos), conversou com o presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), Jonas Donizette, e confirmou que a cidade fará parte do consórcio de municípios, que busca viabilizar a compra e aplicação de vacinas contra a covid-19.

De acordo com o prefeito, a vacinação da população é urgente. "Temos que fazer tudo que estiver ao nosso alcance para disponibilizar a vacina. Se a cidade tiver de comprar, vamos comprar, com recursos do orçamento da Secretaria de Saúde", disse.

A autorização para que estados e municípios possam comprar e distribuir vacinas contra a covid-19 foi uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) proferida na terça-feira. A permissão, segundo o STF, vale caso o governo federal não cumpra o Plano Nacional de Imunização ou caso as doses previstas no documento sejam insuficientes.

Na reunião, ele também afirmou não acreditar que a volta às aulas seja um fato que possa aumentar a transmissão do coronavirus na cidade, mas que por conta da alta taxa de ocupação de leitos em Campinas, se posicionou contra a volta às aulas presenciais.

A Prefeitura informou ainda, que segundo o Estado, o município deve receber novas doses da vacina até amanhã, porém, não sabe informar ainda sobre a quantidade.

Vinhedo

Em Vinhedo, a Secretaria de Saúde informou que não recebeu do governo estadual o lote de vacinas previsto para aplicar a segunda dose em pacientes com 90 anos ou mais e profissionais de saúde que já foram imunizados com a primeira dose. Como não recebeu as doses, a secretaria precisou suspender a vacinação dos profissionais de saúde marcada para hoje e também a vacinação dos moradores de 90 anos ou mais agendada para segunda e terça-feira, 1 e 2 de março.

Vinhedo informou também que aguarda definições técnicas para comprar vacina dos fornecedores para seus moradores, sem depender dos governos federal e estadual. A Prefeitura já está em contato com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e com a Frente Nacional de Prefeitos (FNP) para formalizar o pedido de compra e adquirir as doses. 

Escrito por:

Da redação