Publicado 19 de Fevereiro de 2021 - 16h51

Por Da redação

Pais e alunos rejeitam proposta inicial do colégio que estabelecia apenas duas horas por dia de atividades presenciais

Kamá Ribeiro/ Correio Popular

Pais e alunos rejeitam proposta inicial do colégio que estabelecia apenas duas horas por dia de atividades presenciais

A volta das aulas presenciais, em meio à pandemia de covid-19, tem causado divergências entre pais, alunos, professores e escolas. Se de um lado há o receio com o contágio da doença, do outro há a preocupação com que a atividade presencial seja realmente produtiva.

Questionamentos como esses foram levados por pais e alunos para a Etec Conselheiro Antônio Prado, conhecida como Etecap. O colégio fez uma transmissão online pelo Youtube, na segunda-feira (15), para apresentar o planejamento para a volta das aulas presenciais, que ocorre no dia 22. A iniciativa foi acompanhada por diversos pais e estudantes que não gostaram do que foi apresentado, o que levou a escola a anunciar uma revisão do plano nesta terça-feira (16).

Inicialmente, a direção do Etecap decidiu dividir os estudantes em quatro grupos, que teriam aulas presenciais por cerca de duas horas por dia. No planejamento apresentado, as aulas ocorreriam das 7h30 às 9h10, 10h às 12h, 13h30 à 15h10 e das 18h55 às 20h50.

Para os alunos e pais, no entanto, a divisão "não é eficiente". Durante a transmissão online, uma expectadora questionou: "fazer os alunos irem todos os dias à escola para apenas duas horas diárias de aula é o cúmulo do absurdo".

A estudante Julia Pina, de 16 anos, está no terceiro colegial e conta que não gostou da divisão de horas/aulas feita pelo Etecap. Segundo ela, o retorno para somente duas horas de aula não compensaria a exposição durante a pandemia.

"Não iria dar muito certo do jeito que fizeram. Não ia ser possível fazer quase nada durante esse período. É melhor termos menos dias de aulas presenciais e ficar mais tempo na escola", aponta a estudante ao lado da mãe, a administradora Daniele Pina, 40 anos, que destaca a importância do retorno para os adolescentes.

"Vou te confessar que eu estava bem apreensiva com a volta por conta da pandemia. Mas eles estão há muito tempo em isolamento. A gente faz atividades fora de casa, em lugares abertos. E eles sentem saudades dos amigos e da interação social. Não são mais crianças. Eu falo para a Julia que se ela não se sentir à vontade em algum momento na escola, ela se afasta. É só ter bom senso", aponta Daniele que acrescenta que o turno de duas horas também afetaria o transporte dos alunos.

"Nós moramos em Valinhos. Hoje eu estou levando minha filha de carro, mas ela já foi de van. O motorista do transporte que ela pegava, ficava o dia todo lá na escola para justamente pegar o retorno. Com essa divisão proposta, iria provocar mais gastos para os pais", destaca.

A empresária Maura Santucci Noventa de Almeida, 53 anos, por sua vez, fez questão de destacar a importância da volta das aulas presenciais por conta da "socialização. Segundo ela, que é mãe da estudante Camilla Yonah, de 18 anos, "os adolescentes estão há muito tempo sem contato com os amigos, justamente em uma fase importante da vida. Eu como mãe quero que volte porque é muito ruim ver os filhos em casa o dia todo, sem esse contato fundamental".

A filha, que é estudante do terceiro colegial e faz curso técnico de meio ambiente, concorda e, apesar de revelar preocupação com a pandemia de covid-19, lembra de como o isolamento atingiu a saúde mental de muitos jovens. "Eu conversei com muitos amigos e amigas e o período de isolamento afetou muito a saúde mental de todos. A volta pode ser boa sob esse ponto de vista, mas também é preciso cuidado, pois o retorno também é um desafio", diz Camilla que também acredita que é melhor ter aulas por mais horas e em menos dias.

"Tem gente que vai de ônibus e, então, ter somente duas horas de aula por dia acaba sendo desgastante e pouco produtivo", aponta.

A Etecap ouviu os questionamentos dos pais e alunos e emitiu um comunicado na terça (16) informando que deve alterar o planejamento para que as aulas presenciais ocorram por pelo menos um turno inteiro (manhã, tarde e noite). Ainda de acordo com o comunicado, a escola vai estabelecer as aulas presenciais entre às 7h30 às 12h, das 13h30 às 16h e das 18h55 às 20h50 e/ou até as 22h55.

Procurada pelo Correio Popular, a Etecap informou que "tem por hábito manter o diálogo com toda a comunidade escolar". Ainda segundo a escola, "as observações e objeções feitas ao planejamento foram debatidas pela equipe gestora, levadas à supervisão escolar e incorporadas ao documento". O colégio confirmou que os estudantes "permanecerão na unidade durante todo o período da manhã, tarde ou noite".

O cronograma final deve ser divulgado hoje. Para Camilla, a decisão da Etecap é positiva. "Eu gostei do posicionamento deles, de terem ouvido os alunos e pais. Vai ser melhor assim", finaliza.

Escrito por:

Da redação