Publicado 13 de Fevereiro de 2021 - 17h42

Por Correio Popular

Fila de vacinação contra a covid-19 em posto no Taquaral

Ricardo Lima/ Correio Popular

Fila de vacinação contra a covid-19 em posto no Taquaral

A contaminação pelo coronavírus continua crescente em Campinas. Dia após dia, o Município registra novos casos da doença. De acordo com o último balanço divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde, a cidade conta com 65.198 pessoas contaminadas pela covid-19.

O número representa 427 casos a mais que o divulgado pelo balanço anterior, 24 horas antes. Desde o início da pandemia, já ocorreram 1.750 mortes pelo coronavírus na cidade. Entre os óbitos recentes estão dois homens e duas mulheres. Todas as vítimas tinham doenças preexistentes e mais de 60 anos.

A letalidade da doença na cidade tem atingido mais homens do que mulheres. Do total de mortes, desde o início da pandemia, 57% foram do sexo masculino e 43% do sexo feminino. Já em relação ao número de casos da doença, as mulheres são as maiores vítimas. Do total de pessoas contaminadas, 54% são mulheres e 46% homens.

Balanço

Quanto à ocupação de leitos de UTI exclusivos para a covid-19, Campinas inicia o final de semana com 58 leitos livres.

Dos 256 leitos UTI exclusivos nas redes pública e particular, 198 estão ocupados. A taxa de ocupação está em 77,34%. Uma leve redução em relação à taxa de ocupação registrada durante a semana, quando o índice atingiu mais de 84%.

Nos leitos SUS Municipal, de um total de 107 leitos, 95 estão ocupados, o que equivale a 88,79%. Há 12 leitos livres. Nos lêitos SUS Estadual, dos 17 leitos, 16 estão ocupados, o que corresponde a 94,12% de taxa de ocupação. Há apenas um leito livre.

Nos leitos particulares, dos 132 existentes, 87 estão ocupados, o que equivale a 65,91% de taxa de ocupação. Há 45 leitos livres.

A Prefeitura de Campinas aguarda a liberação de 13 leitos no Hospital das Clínicas na Unicamp. Segundo informações do hospital, a liberação dos leitos está atrelada a contratação de médicos para atuarem na UTI, o que está difícil no atual momento. (da Redação)

Escrito por:

Correio Popular