Publicado 12 de Fevereiro de 2021 - 19h26

Por Da redação

Baixa expectativa de movimento leva a Socicam a dispensar horários extras de ônibus na rodoviária de Campinas

Cedoc/RAC

Baixa expectativa de movimento leva a Socicam a dispensar horários extras de ônibus na rodoviária de Campinas

Com a decisão do Governo do Estado de São Paulo em optar pela suspensão das celebrações do carnaval e do ponto facultativo, por conta das altas taxas de ocupação dos leitos de covid-19, o movimento nas rodovias, que passam por Campinas, deve ser de um final de semana comum. Tanto que a Socicam não disponibilizou horários extras de ônibus intermunicipais e as concessionárias não organizaram operações para escoamento do tráfego nas rodovias.

A necessidade do isolamento social e a alta contaminação pelo novo coronavírus são motivos que deverão deixar os viajantes em casa. Por isso, a celebração de momo terá que ser diferente e isolada este ano, sem aglomerações nos ambientes públicos ou privados.

Se durante o carnaval de 2020, mais de dois milhões de veículos circularam pela região de Campinas, sendo 959 no sistema Anhanguera-Bandeirantes, 860 mil no corredor Dom Pedro e 265 mil na Rodovia Santos Dumont, esse ano o panorama é bem diferente.

Motivo pelo qual a Socicam, administradora da rodoviária de Campinas não disponibilizou horários extras de ônibus intermunicipais, pois apenas cerca de 35 mil pessoas devem passar pelo terminal. Número considerado baixo em comparação a outros feriados. A Socicam ainda informou que a rodoviária apresenta uma redução na casa de 51% do movimento em relação aos meses anteriores à pandemia.

Rodovias

O baixo movimento também modifica o trabalho nas rodovias. Fato que justifica a não elaboração das tradicionais estimativas de trânsito feitas pelas concessionárias Autoban, Rota das Bandeiras e AB Colinas. A expectativa de movimento será de um final de semana normal.

Uma das pessoas que deixou de viajar por conta do risco de contaminação pela covid-19 é a publicitária Yolanda Machado, de 27 anos. Ela conta que já tinha alugado um apartamento no Rio de Janeiro (RJ), mas que desistiu. "Eu ia de carro com mais três amigas aqui de Campinas para ficarmos na praia de Ipanema, mas desistimos por medo da pandemia".

Por outro lado, a secretária Regina Ribeiro, de 46 anos, disse que vai aproveitar o final de semana para ir até São José Rio Preto (SP). "Esse ano ainda não vi os meus pais, justamente por conta da pandemia. Como estou trabalhando de casa não vejo problema em ir encontrá-los".

Orientações

A Socicam orienta que os usuários do terminal rodoviário de Campinas usem máscara, álcool em gel, lavem bem as mãos, evitem aglomerações, só sentem nos locais demarcados e que caso não seja possível realizar a compra da passagem pela internet, que o usuário ligue para a empresa de ônibus que deseja viajar e cheque a disponibilidade de lugares. A administradora também aconselha que caso o passageiro esteja com algum sintoma relacionado à covid-19, que entre em contato com a empresa e remarque a sua viagem. O passageiro rodoviário tem prazo de até um ano para remarcar a data da sua passagem.

As concessionárias das rodovias pedem para que os usuários evitem aglomerações nos automóveis e que usem máscara ao passarem pelos pedágios e em caso de necessidade de algum serviço na estrada. (da Redação)

Escrito por:

Da redação