Publicado 27 de Fevereiro de 2021 - 13h23

Por AFP

O Reino Unido prestou a última homenagem neste sábado a seu herói "capitão Tom", um veterano da Segunda Guerra Mundial famoso por ter arrecadado uma quantia recorde para o serviço de saúde pública durante a pandemia.

O caixão de Tom Moore, que faleceu aos 100 anos, envolvido com a bandeira britânica e com suas medalhas, foi carregado até o crematório de Bedford (centro da Inglaterra) por seis soldados do Regimento de Yorkshire, ao qual ele serviu durante a Segunda Guerra Mundial.

Antes do início da cerimônia, que foi exibida ao vivo pela televisão, um avião da Segunda Guerra Mundial sobrevoou o local e 14 soldados dispararam três salvas de honra.

Mas devido ao confinamento no Reino Unido desde o início de janeiro para lutar contra o coronavírus apenas oito parentes compareceram à cerimônia privada: suas duas filhas, os dois genros e quatro netos.

"Minha irmã e eu organizamos o funeral que meu pai queria", afirmou a filha Lucy Teixeira, 52 anos, em um comunicado divulgado antes do funeral.

"Papai, estou muito orgulhosa de vocês, do que conseguiu em toda sua vida e especialmente no último ano", destacou Lucy.

"Você pode ter ido, mas a sua mensagem e seu espírito permanecem", acrescentou no funeral, que começou com a canção gravada pelo "capitão Tom" com o astro Michael Ball: o hino da torcida do Liverpool "You"ll Never Walk Alone", que se tornou um símbolo de ajuda durante a pandemia.

Tom Moore, que tinha 99 anos durante o primeiro confinamento - no segundo trimestre de 2020-, havia estabelecido inicialmente o objetivo modesto de arrecadar 1.000 libras (1.400 dólares) para ajudar o Serviço Nacional de Saúde, que estava saturado pelo grande número de pacientes do coronavírus.

Para alcançar a meta, ele se comprometeu a percorrer 100 vezes os 25 metros do jardim de sua residência antes de completar 100 anos.

A imagem do veterano inclinado sobre seu andador e caminhando com dificuldade comoveu a população britânica, por seu sentimento de gratidão aos profissionais de saúde.

As doações dispararam e Moore arrecadou quase 33 milhões de libras esterlinas (42 milhões de dólares no câmbio da época), a maior quantia já obtida por apenas uma pessoa em uma causa benéfica.

Suas proezas o transformaram em uma celebridade. Ele recebeu honras militares por seu 100º aniversário, antes de ser nomeado cavaleiro pela rainha Elizabeth II, em um ato no qual foi permitido sair do confinamento.

A morte do "capitão Tom" em 2 de fevereiro, depois de contrair pneumonia em consequência do coronavírus, provocou muitas homenagens, incluindo da rainha, da Casa Branca e da ONU.

"Se há uma lição que aprendi com você durante os últimos três anos é o poder da positividade e da bondade", disse o neto Benjie.

De acordo com os desejos do "capitão Tom", a canção "My Way" de Frank Sinatra encerrou a cerimônia, antes da marcha fúnebre do exército, conhecida como "The Last Post", seguida por um minuto de silêncio.

Como epitáfio, ele escolheu: "Eu te falei que estava velho", uma referência ao epitáfio do comediante britânico-irlandês Spike Milligan, "Eu te disse que estava doente".

Escrito por:

AFP