Publicado 27 de Fevereiro de 2021 - 13h20

Por Estadão Conteúdo

Em meio ao pior momento da pandemia, o Brasil segue uma sequência de balanços altos. Nesta sexta-feira, 26, a média móvel de mortes por covid-19, que registra as oscilações dos últimos sete dias e elimina distorções entre um número alto de meio de semana e baixo de fim de semana, ficou em 1.148. Segundo o consórcio de veículos de imprensa, foram registrados 1.327 novos óbitos e mais 63.908 casos da doença nas últimas 24 horas.

No total são 252.988 mortes registradas e 10.457.794 pessoas contaminadas no Brasil, segundo o balanço mais recente do consórcio formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL em parceria com 27 secretarias estaduais de Saúde. Os dados foram divulgados às 20h.

O Estado de São Paulo superou a marca de 2 milhões de casos confirmados e chegou a 59.129 mortes pela doença. Entre o total de casos diagnosticados, 1.792.647 pessoas estão recuperadas. As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 70,8% na Grande São Paulo e 70,4% no Estado. O número de pacientes internados é de 15.173, sendo 8.327 em enfermaria e 6.846 em unidades de terapia intensiva. Hoje, os 645 municípios têm pelo menos uma pessoa infectada, sendo 627 com um ou mais óbitos.

Tentando evitar o colapso no sistema de saúde e frear a disseminação do vírus, governadores e prefeitos estão adotando medidas mais rígidas de isolamento social. No Estado de São Paulo foi adotado um "toque de restrição" para autuar e conter aglomerações entre as 23 horas e as 5 horas a partir desta sexta-feira. Além disso, seis regiões do Estado, incluindo a Grande São Paulo, saíram da fase amarela para a laranja.

Ao menos outros 10 Estados também decretaram restrições de circulação de pessoas, fechamento de estabelecimentos comerciais e até lockdown. De acordo com o Boletim do Observatório Covid-19, da Fiocruz, 17 capitais brasileiras estão com ocupação de leitos de UTI de pelo menos 80%.

Consórcio dos veículos de imprensa

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 Estados e no Distrito Federal. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia, mas foi mantida após os registros governamentais continuarem a ser divulgados.

Nesta sexta-feira, o Ministério da Saúde informou que foram registrados 65.169 novos casos e mais 1.337 mortes pela covid-19 nas últimas 24 horas. No total, segundo a pasta, são 10.455.630 pessoas infectadas e 252.835 óbitos. Os números são diferentes do compilado pelo consórcio de veículos de imprensa principalmente por causa do horário de coleta dos dados.

Escrito por:

Estadão Conteúdo