Publicado 27 de Fevereiro de 2021 - 10h40

Por AFP

As 42 pessoas, incluindo 27 menores de idade, sequestradas há 10 dias em uma escola da região centro-oeste da Nigéria foram liberadas, anunciaram neste sábado as autoridades locais, um dia depois de um novo sequestro de 317 jovens no norte do país.

"Os estudantes, professores e seus parentes do Colégio de Ciências de Kagara recuperaram a liberdade e foram recebidos pelo governo local", anunciou Abubakar Sani Bello, governador do estado de Níger, centro-oeste do país, região muito afetada pela ação de grupos criminosos.

Em 18 de fevereiro, homens armados atacaram a escola pública de Ensino Médio de Kagara e mataram um estudante. Eles sequestraram 27 alunos, três professores e 12 parentes de funcionários do colégio.

Os criminosos espalham o terror no centro-oeste e noroeste da Nigéria, com sequestros em larga escala para exigir o pagamento de resgate, saques a vilarejos e o roubo de gado há vários anos.

Mas nos últimos meses também intensificaram os sequestros nas escolas.

Na sexta-feira, 317 alunas adolescentes de uma escola do Ensino Médio do estado de Zamfara (noroeste) foram sequestradas em seus dormitórios. As forças de segurança e moradores iniciaram uma operação de resgate.

No mesmo dia, pais de estudantes sequestradas atacaram o comboio oficial que desejava entrar na escola. Um jornalista ficou gravemente ferido na cabeça.

Na manhã deste sábado, a situação era mais calma, de acordo com pessoas entrevistadas pela AFP.

No início de dezembro, 344 alunos foram sequestrados em uma escola de Kankara, no estado vizinho de Katsina. A liberação aconteceu uma semana mais tarde.

Após cada novo sequestro, as autoridades federais e locais repetem que não pagam resgate para obter a libertação dos reféns, algo que é pouco provável, de acordo com especialistas em segurança que temem a multiplicação deste tipo de crime na região.

No início de fevereiro, Awwalun Daudawa, que coordenou o sequestro de Kankara, se entregou às autoridades em troca de um acordo de anistia, durante uma cerimônia pública na presença de um grupo de jornalistas.

O analista Yan Saint-Pierre, que dirige o Modern Security Consulting Group, afirmou que isto envia um sinal ruim para os criminosos.

O presidente Muhammadu Buhari, muito criticado pela situação catastrófica da segurança no norte da Nigéria, afirmou na sexta-feira à noite que não cederá à chantagem dos bandidos no caso das jovens sequestradas e, Zamfara.

O número é incerto, mas estes grupos atraem cada vez mais jovens desempregados nestas regiões, que registram mais de 80% de pobreza extrema em sua população.

Escrito por:

AFP