Publicado 26 de Fevereiro de 2021 - 19h00

Por AFP

Quatro manifestantes morreram nesta sexta-feira (26) em confrontos com as forças de segurança em Nasiriya, no sul do Iraque, informaram médicos desta cidade, que registra há dias um movimento de protestos contra o governo.

Essas mortes aumentam para seis o número de manifestantes mortos há uma semana nesta cidade. Dezenas de pessoas também ficaram feridas durante os confrontos.

Os manifestantes estão há vários dias desafiando as medidas de confinamento associadas a uma segunda onda de covid-19 para manter vivo seu movimento de protesto, que se tornou mais esporádico no resto do país.

Os manifestantes se reuniram várias vezes esta semana em frente ao edifício do governo em Nasiriya para exigir a renúncia do governador, em um contexto de degradação dos serviços públicos.

Al Waeli renunciou na sexta-feira à noite, de acordo com a mídia pública, enquanto o primeiro-ministro iraquiano Mustafa al Kadhimi anunciou a criação de uma investigação sobre a violência.

Em Nasiriyah, os manifestantes tentaram bloquear as principais pontes da cidade, mas as forças de segurança responderam disparando fogo, descobriu a AFP.

Décadas de conflito, corrupção e investimentos escassos deixaram o Iraque com serviços públicos deficientes e escassez recorrente de energia elétrica e água.

No final de 2019, a raiva da população pela corrupção e pelo desemprego galopante provocou um levante popular sem precedentes marcado pela violência que deixou 600 mortos e 30.000 feridos no país.

Embora as manifestações tenham praticamente acabado em 2020, foram retomadas em Nasiriya, a menos de duas semanas da visita do papa Francisco a esta província meridional.

str/mjg/mdz/tjc/mis/aa/ap

Escrito por:

AFP