Publicado 26 de Fevereiro de 2021 - 16h10

Por AFP

Um grupo de especialistas independentes dos Estados Unidos se reunirá nesta sexta-feira (26) para discutir a concessão de aprovação de emergência para a vacina da Johnson & Johnson contra a covid-19. Nesse caso, seria a terceira vacina a ser distribuída no país mais atingido pela doença.

Os 22 membros do comitê, convocado pela Food and Drug Administration (FDA) dos EUA e que inclui cientistas importantes, assim como representantes dos consumidores e da indústria, realizarão uma reunião virtual de um dia, transmitida ao vivo, para decidir se os benefícios do imunizante superam seus riscos para uso em pessoas com mais de 18 anos de idade.

"Esperamos ter um dia muito produtivo ao considerarmos a terceira apresentação de autorização de uso emergencial para a vacina covid-19", informou o cientista-chefe da FDA, Peter Marks.

A reunião é um exercício de transparência sem precedentes entre outros países, permitindo ao público conhecer os detalhes do debate científico.

O grupo votará por volta das 17h (07h de Brasília) e, embora suas recomendações não sejam vinculantes, geralmente são seguidas pelas autoridades de saúde.

Espera-se que os membros votem a favor e, assim sendo, a vacina da J&J se tornaria a terceira a receber sinal verde nos Estados Unidos, depois que a da Pfizer e a Moderna foram provisoriamente aprovadas em dezembro.

"Se a FDA aprovar o uso desta nova vacina, temos um plano para lançá-la o mais rápido que a Johnson & Johnson puder", ressaltou o presidente Joe Biden na quinta-feira.

A FDA divulgou sua própria análise antes da reunião, que mostrou que a vacina foi altamente eficaz na prevenção de casos graves da covid-19, incluindo variantes mais recentes do vírus.

Em um ensaio global com quase 40.000 pessoas, a eficácia contra os casos graves da doença foi de 85,4%, embora tenha caído para 66,1% quando as formas moderadas da doença foram incluídas.

Isso significa que o nível de proteção conferido por esta vacina é inferior aos regimes das duas injeções da Pfizer e Moderna, que são cerca de 95% eficazes contra todas as formas da covid-19 da cepa clássica.

No entanto, especialistas dizem que o imunizante da J&J será outra ferramenta inestimável para encerrar o surto nos Estados Unidos, onde mais de 500.000 pessoas morreram.

A vacina da J&J requer apenas uma dose, enquanto a Pfizer e a Moderna requerem duas, e pode ser armazenada em temperaturas normais de geladeira em vez de freezers, facilitando a logística.

A empresa anunciou que pretende fornecer um total de 20 milhões de doses até o final de março e 100 milhões até junho, embora os Estados Unidos estejam pressionando por uma aceleração desse prazo.

ia/dw/yo/yow/bn/mvv

Escrito por:

AFP