Publicado 25 de Fevereiro de 2021 - 19h40

Por AFP

A cidadela inca de Machu Picchu, joia do turismo no Peru, será reaberta na segunda-feira com uma capacidade de 40%, após ter permanecido fechada durante fevereiro devido a uma quarentena destinada a reduzir as infecções por covid-19.

"Reabriremos a cidadela na segunda-feira, 1º de março, com 40% da capacidade. Cerca de 897 visitantes poderão entrar diariamente sob estritos protocolos sanitários", disse à AFP uma fonte do Ministério da Cultura.

Depois de ter sido fechada em 2020 por quase oito meses devido à pandemia, a cidadela de pedra reabriu em novembro, mas teve que fechar novamente em 31 de janeiro. Foi um novo golpe para o turismo, o setor mais afetado pela pandemia no Peru.

Dessa vez poderá receber apenas 40% dos 2.244 visitantes previamente autorizados, mas ainda assim impulsionará a reativação econômica da região de Cusco, segundo seu governador, Jean Paul Benavente.

"Temos que voltar à ativa e olhar para frente", declarou ele à rádio RPP Benavente, que indicou que em 2020, com a ausência dos turistas, cerca de 1,4 bilhão de dólares deixaram de entrar na região.

"Existem corredores seguros para os turistas. Temos que voltar com muita força, mas de forma gradual e responsável", acrescentou.

A região de Cusco registra 14.395 casos de coronavírus e 493 mortes e continua com um "nível muito alto" de infecções, de acordo com o governo.

No entanto, "não há indício de que qualquer pessoa tenha sido infectada em Machu Picchu", afirmou a fonte do Ministério da Cultura à AFP, que pediu anonimato.

A cidade de Cusco, principal da região, é a antiga capital do Império Inca. Vive principalmente do turismo, assim como os povoados do Vale Sagrado dos Incas, onde se encontra a cidadela construída no século XV.

Machu Picchu e os outros sítios arqueológicos do Peru foram fechados em 31 de janeiro devido ao aumento nas infecções de covid-19 com a segunda onda da pandemia.

No entanto, o governo decidiu na quarta-feira não estender a quarentena que vigorava em várias províncias do país desde então, citando a desaceleração das infecções e a complexa situação econômica.

O PIB peruano caiu 11,12% em 2020, mas a queda foi muito maior no setor de turismo (-50,45%), segundo dados oficiais.

Machu Picchu ("Montanha Antiga" na língua quéchua) é o cartão postal do país andino. Colocou o Peru no mapa do turismo mundial em meados do século 20 e foi declarado patrimônio mundial da humanidade pela Unesco em 1983.

cm/fj/yow/ic/mvv

Escrito por:

AFP