Publicado 25 de Fevereiro de 2021 - 19h40

Por AFP

Honduras e Guatemala receberam cerca de 10.000 doses da vacina do laboratório americano Moderna contra a covid-19 nesta quinta-feira (25), em uma doação de Israel que será repartida igualmente, informaram as autoridades.

O avião presidencial hondurenho transportou a carga de Tel Aviv, que foi recebida pelas autoridades hondurenhas e pelo vice-chanceler da Guatemala, Eduardo Hernández, no aeroporto de Toncontín, no sul de Tegucigalpa.

A doação foi feita "após um pedido feito pelo presidente Juan Orlando Hernández ao primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu", indicou um comunicado do governo hondurenho.

Na cerimônia de recebimento, o vice-chanceler da Guatemala também agradeceu a doação das 5.000 doses destinadas ao seu país e que, após a escala em Tegucigalpa, seguiram viagem pelo território.

O ministro das Relações Exteriores de Honduras, Lisandro Rosales, e o vice-chanceler guatemalteco informaram que as vacinas serão usadas para imunizar funcionários de saúde que lutam na linha de frente contra a pandemia nos hospitais.

Enquanto isso, ao chegar à Guatemala em um avião militar, as 5.000 doses que correspondem ao país foram transferidas para cinco hospitais, onde começarão a ser aplicadas ao pessoal da saúde. O carregamento na Cidade da Guatemala foi recebido pelo ministro das Relações Exteriores, Pedro Brolo, e pelo embaixador de Israel no país, Mattanya Cohen.

O chanceler Brolo agradeceu a doação, pois ajudará "a Guatemala a se unir aos esforços para conter a propagação da covid-19", após reconhecer que é o primeiro fornecimento de vacinas que chega ao país para combater a doença.

Honduras e Guatemala, que tiveram problemas para obter vacinas contra a covid-19, mantêm relações estreitas com Israel e são um dos poucos países que reconhecem Jerusalém como a capital do Estado hebraico, quebrando a neutralidade no conflito árabe-israelense.

Honduras decidiu esta semana buscar a obtenção de vacinas em laboratórios privados porque o mecanismo Covax, da Organização Mundial da Saúde (OMS), atrasou os embarques que havia prometido. A Guatemala também recriminou o atraso do dia anterior.

A OMS havia dito em janeiro que 90 países de baixa e média renda que fazem parte da Covax - 10 deles na América Latina (incluindo Honduras) - receberiam um primeiro lote de ao menos 24.000 vacinas da Pfizer em fevereiro.

Depois de uma breve redução no final do ano passado, a pandemia voltou a crescer em Honduras com hospitais beirando o colapso. Com quase 10 milhões de habitantes, o país acumula cerca de 167.000 casos e mais de 4.000 mortes.

Já a Guatemala, com 17 milhões de habitantes, registra mais de 173.140 casos e 6.330 mortos pela covid-19.

nl-ec/mav/yow/bn/mvv

Escrito por:

AFP