Publicado 25 de Fevereiro de 2021 - 12h55

Por Estadão Conteúdo

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), anunciou nesta quinta-feira, 25, a antecipação da vacinação de idosos com 80 anos ou mais a partir deste sábado, 27, nos cinco postos de drive-thru da cidade e nas 82 AMAs. Nas 468 UBSs, a ampliação segue marcada para a segunda-feira, 1º, quando também será ampliada para profissionais de saúde que têm 55 anos ou mais (hoje é destinada a quem tem 60 anos ou mais), independentemente de estarem na linha de frente, e para profissionais da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social que lidam com idosos e pessoas em situação de rua.

O anúncio ocorreu em uma coletiva de imprensa de novas medidas contra o avanço da pandemia da covid-19. A capital paulista e o Estado enfrentam um aumento no número de internações em UTI relacionadas à doença. No último balanço divulgado pela gestão municipal, a cidade tinha 624.076 casos confirmados de novo coronavírus e outros 786.735 suspeitos. O total de óbitos confirmados é de 18.433, dos quais 103 novos foram confirmados no último boletim.

Entre os hospitais municipais e contratados pela Prefeitura, a ocupação é de 70% na UTI, com 679 internados em leitos de terapia intensiva. Segundo o Governo do Estado, a ocupação média das UTIs (entre redes pública e privada) é de 70% na Grande São Paulo.

Na quarta-feira, 24, a Câmara de São Paulo aprovou uma emenda que permite que a Prefeitura compre vacinas da covid-19, independentemente do plano federal. De autoria do vereador Antonio Donato (PT), a medida determina que "havendo oferta insuficiente ou a destempo de vacinas contra a covid-19 pela União, fica o Poder Executivo Municipal autorizado a adquirir tais imunizantes, desde que aprovados pela Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa)". E ainda permite que, "no caso de a Anvisa descumprir o prazo legal de aprovação, o Poder Executivo Municipal poderá adquirir imunizantes já aprovados por agências reguladoras internacionais".

Pelo terceiro dia seguido, o Estado de São Paulo bateu o recorde de internações por covid-19 em UTI desde o início da pandemia, chegando a 6.657 pacientes com suspeita ou confirmação da doença em terapia intensiva nesta quarta-feira. O aumento é visto também na média diária de novas hospitalizações, cuja parcial desta semana é de 1.678, o que representa um aumento de 15,1% em cerca de 10 dias.

Também na quarta, a alta de internações em UTI motivou o governo João Doria (PSDB) a anunciar uma medida de "restrição de circulação" a partir da sexta-feira, 26, para autuar aglomerações em todos os municípios do Estado. A determinação é válida até 14 de março, mas pode ser estendida, conforme foi destacado em coletiva de imprensa.

Escrito por:

Estadão Conteúdo